O cenário de quadrinhos no Brasil vive um ótimo momento, isso é inegável. Mas ainda há uma biblioteca imensa de autores, estilos e séries que ainda não foram publicados por aqui. Sabendo desse imenso potencial a ser explorado, a Pipoca e Nanquim Editora surge com uma obra importante do gênero fantasia, Espadas e Bruxas, do quadrinista espanhol Esteban Maroto.

O livro traz três HQs de Maroto reunidas pela primeira vez no Brasil em um só volume. As histórias são protagonizadas pelos guerreiros bárbaros Wolff, Dax e Korsar e são tidas como um dos clássicos do gênero “espada e feitiçaria”.

O título marca também a estreia da editora Pipoca & Nanquim. O P&N é um das mais conhecidas mídias especializadas em quadrinhos no Brasil e conta com site e canal no YouTube – já são mais de 82 mil inscritos. Este primeiro lançamento foi lançado com exclusividade na Amazon BR e tornou-se um dos livros mais vendidos do site.

Conversamos com Daniel Lopes, um dos editores do Pipoca & Nanquim sobre essa nova empreitada, as escolhas editoriais e o que podemos esperar dessa novíssima editora de quadrinhos!

Após tantos anos do Pipoca e Nanquim como um espaço de debate e crítica sobre quadrinhos, vocês decidiram virar editora? Como surgiu a ideia?
A ideia surgiu há um bom tempo, por volta de 2011, mas era um sonho distante, mal tínhamos experiência na área editorial e noção de mercado. Agora, acalentando o projeto com muito carinho, conhecendo melhor todo o processo de produção e o cenário, conseguimos dar o pontapé inicial no projeto.

Qual a proposta editorial de vocês? Que tipo de quadrinho podemos esperar da editora?
A pergunta que mais nos fazemos lá no canal do Youtube é: “Como é que ninguém publica esse autor/gibi por aqui?”. A editora surge como uma resposta a isso, corremos atrás de autores que adoramos e achamos essenciais para a expansão do que entendemos por Nona Arte em seus vários aspectos. O público pode esperar grandes obras de estilos variados, de autores que estão de alguma maneira meio renegados aqui no Brasil. Funcionará como um reflexo dos nossos vídeos, nos quais abordamos quadrinhos bons em geral, nunca focamos somente em super-heróis ou mangás, por exemplo, a ideia é compreender a dimensão global da narrativa gráfica. Nosso público é fundamental para isso, pois, além de nos mostrar muitas coisas, expressam desejos por alguns materiais bem interessantes.

O primeiro lançamento é de uma obra pouco conhecida no Brasil, mas bastante importante dentro do gênero fantasia. Como foi trabalhar com esse material e qual a expectativa de vocês para a recepção dele pelo público.
Trabalhar com o Esteban Maroto, uma lenda dos quadrinhos, de quem há anos somos fãs, foi incrível. Ele acompanhou todo o processo, foi extremamente solícito e nos ajudou a produzir “uma das edições mais bonitas de seu trabalho no mundo”, palavras dele. Eu (Daniel Lopes), Alexandre Callari e Bruno Zago cuidamos de todo o processo, da negociação, passando pela tradução e diagramação, até o transporte da gráfica para a Amazon. Contamos com a colaboração de um revisor, o Thiago Lins, para uma conferência sem olhos viciados, mas basicamente foi a mesma equipe que toca o Pipoca e Nanquim desde 2009. A recepção está sendo ótima. O público foi muito receptivo e está dando todo apoio em termos de empolgação e divulgação (comentários, compartilhamentos, tweets…). O produto ainda está em pré-venda, chega ao estoque da Amazon na primeira quinzena de maio e já entrou algumas vezes na lista dos mais vendidos por lá, inclusive em primeiro lugar!

A pré-venda da obra está acontecendo pela Amazon, que vem se mostrando um canal relevante de venda de HQs no Brasil. Como esperam lidar com a questão da distribuição, um dos “calos” do mercado de quadrinhos no Brasil?
A melhor maneira que encontramos de fazer o quadrinho chegar ao público foi via Amazon. A compra por lá é bem fácil e eles enviam rapidamente para todo o Brasil (sempre com muito cuidado na embalagem e tal). Toda a distribuição de livros no Brasil precisa ser repensada. Ela representa um custo muito grande dentro da produção (quase 50% do valor de capa de um quadrinho fica para a distribuidora). Sempre chega com muito atraso a algumas regiões, os produtos ficam avariados e o retorno financeiro feito pela distribuidora para a editora muitas vezes demora meses. Um verdadeiro gargalo que dificulta tudo.

O canal e o site do Pipoca & Nanquim seguirão como antes após a editora? Que mais vocês reservam para o futuro?
Sim, sim! O canal segue firme e forte. Sempre tentamos inovar a apresentação dos vídeos e deixar interessante ao público. Nosso viés é, e sempre será, a cultura pop, mas estamos começando a falar também de comportamento, hábitos e até mesmo programas culinários relacionados ao tema. Acreditamos que quem nos acompanha gosta de nos conhecer melhor como pessoa. Para o futuro, estamos preparando uma loja com alguns produtos exclusivos (camisetas, canecas…) com o selo PN. Ainda este ano devemos apresentar uma novidade legal em termos de produção de vídeos e a editora reserva algumas coisas que vão fazer o público vibrar. Além de quadrinhos maravilhosos, tem literatura apontando no horizonte…

Veja um preview de Espadas e Bruxas abaixo e aqui o link para comprar a HQ na Amazon.

Sem mais artigos