Após um período de relativa calmaria em relação às discussões sobre o destino do Cais José Estelita, no Recife, o tema voltou a entrar em ebulição após a Polícia Federal divulgar que houve fraude no leilão do terreno. A PF realizou busca e apreensão nos escritórios de empresas que fazem parte do Consórcio Novo Recife e da Milan Leilões, ligada à Caixa Econômica Federal. Nessa quinta (1º) os manifestantes do #OcupeEstelita foram às ruas novamente para um ato de repúdio ao projeto.

Como já aconteceu diversas outras vezes, a polícia militar agiu com violência contra os ativistas. O vídeo acima mostra um policial disparando um tiro de bala de borracha após a faixa encostar em seu rosto. Os manifestantes caminhavam pelo Centro do Recife com a faixa que dizia “A cidade é nossa. Ocupe-a” e a levantaram para passar por cima de dois policiais que estavam no caminho. O ato ainda contou com outros tumultos e relatos de violência.

As investigações da PF fazem operação Lance Final. Em coletiva realizada na última quarta (30), os investigadores apontaram uma possível fraude no leilão, realizado em outubro de 2008. O consórcio conseguiu arrematar o terreno a um valor inferior ao preço de mercado – cerca de dez milhões de reais a menos, em valores da época, disse a PF.

A Polícia Federal também solicitou à Justiça Federal o sequestro do terreno como forma de garantir o ressarcimento do prejuízo. Nesta sexta (2), a Prefeitura do Recife anunciou o adiamento de reunião do Conselho de Desenvolvimento Urbano, que se reúne mensalmente. Estava em pauta a aprovação do projeto Novo Recife. O CDU diz que não há novo prazo para realizar discussões sobre o redesenho.

Projeto do consórcio Novo Recife prevê a construção de espigões. (Foto: Reprodução/MovimentoOcupeEstelita.)

Projeto do consórcio Novo Recife prevê a construção de espigões. (Foto: Reprodução/MovimentoOcupeEstelita.)

O movimento OcupeEstelita enviou uma carta ao prefeito Geraldo Júlio pedindo que se anule todos os protocolos relativos ao projeto Novo Recife. Em seu blog, o consórcio divulgou nota dizendo que o leilão de venda do terreno foi legítimo. “Desta forma, a direção do Consórcio não tem nada a opor à investigação realizada pela Polícia Federal. Pelo contrário, avalia esse fato como uma oportunidade para esclarecer, em definitivo, qualquer questionamento com relação ao leilão de venda do terreno no Cais José Estelita”, escreveram. Já a Prefeitura disse que “a atual gestão não tem relação alguma com os fatos investigados pela Polícia Federal. Trata-se de leilão do antigo patrimônio da Rede Ferroviária realizado, em 2008, pelo Governo Federal”.

Veja o que já publicamos sobre o OcupeEstelita. Aqui um post sobre a ocupação do terreno pelos ativistas e um artigo sobre a iconografia do movimento.

O momento do estouro. (Reprodução/Vídeo).

O momento do estouro. (Reprodução/Vídeo).

No dia 1 de Outubro de 2015, em protesto pacífico do Movimento Ocupe Estelita, policial tenta roubar a faixa dos manifestantes, e ao não conseguir dispara um tiro de bala de borracha a queima roupa nos manifestantes, demonstrando a truculência das ações realizadas pela Policia Militar de Pernambuco (PMPE) e a incapacidade de lidar com manifestações de forma pacífica#OcupeEstelita #ViolênciaPolicial #PactoPelaVida

Posted by Daniel B Guimarães on Sexta, 2 de outubro de 2015

Sem mais artigos