Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

Antes das piadinhas, o texto é sobre o que eu descobri (e não o que seja necessariamente novíssimo em folha). No caso em questão, a banda não é nova, mas faz um som pra lá de elegante. Trata-se da , grupo estadunidense que mescla elementos de jazz, rock, funk, pop e R&B fundada na década de 1970 pela dupla Walter Becker e Donald Fagen. O nome remete a um trecho de Naked Luch, livro do escritor William Burroughs.

Ao longo da carreira, a dupla lançou sete discos entre 1972 e 1980, quando se retiraram para trabalho em estúdio e se reuniram novamente em 1993 a pedidos, ano a partir de quando lançaram outros três discos, sendo um deles – o primeiro de inéditas em 20 anos – vencedor de quatro Grammys no ano de 2000. O último álbum do duo data de 2003, mas atenção! Vale muito a pena a conferida.

Leia Mais: O que eu descobri
Manoel Cordeiro e Sonora Amazônica
Dezena, Centena e Milhar, de Arthur Chrispin
A China é aqui
O samba amazônico de Arthur Espíndola

A dupla é considerada perfeccionista nos arranjos e harmonias com influências, sobretudo, jazzísticas. Para se ter ideia, Gaucho, álbum de 1980, possuía apenas sete músicas. Entretanto, para o registro, 11 engenheiros de som e pelo menos 42 músicos participaram da empreitada. Como resultado, a dupla vendeu mais de 40 milhões de discos ao longo da carreira.

Se estiver na dúvida e – assim como eu – curtir o lado soul da vida, aposte em Aja, disco de 1977 que possui um balanço matador. Dá pra escutar no caminho do final de semana rumo à praia, dá pra colocar no headphone enquanto trabalha, dá pra abrir a pista, dá pra engatar uma conversa com um grupo de amigos ou pra flertar a gosto do freguês. Eu recomendo.

https://www.youtube.com/watch?v=s7V5-O8Zk2k

https://www.youtube.com/watch?v=TDFad7hmQSY

Sem mais artigos