OLHAR FEMININO DAS FÁBULAS
Premiado Castelo Adormecido ganha edição nacional e apresenta ideias criativas da autora em revitalizar os contos de fadas

Por Paulo Floro
Editor da Revista O Grito!

Anunciada há três anos, a Via Lettera lança então a premiada série da escritora e quadrinhista Linda Medley, O Castelo Adormecido (Castle Waiting). Publilcada nos EUA pela prestigiada editora Fantagraphics, este primeiro título comprova a obra como uma das mais criativas HQs publicadas atualmente, tanto na sua ideia quanto no modo como utiliza elementos dos contos de fada clássico. Mas seu principal mérito é mesmo saber contar uma boa história.

Não há marabalismos nesta história medieval com seres fantásticos, nem mesmo uma narrativa original, com elementos inovadores. Básica como uma boa história conta à hora de dormir, debaixo de cobertas quentes, ou dita por alguém com muito carisma, O Castelo Adormecido conquistou leitores pelo fato de ser objetivo, claro, e como toda boa obra de consumo pop, viciante. A história fala de um castelo isolado e abandonado onde moram seres excêntricos, que após um longo período esquecido, recebe uma visitante ilustre que esconde muitos segredos.

» Leia críticas e reportagens de quadrinhos da Revista O Grito!

A crítica amou o trabalho de Medley por sua abordagem mais feminina dos contos de fada, que sempre mostram as mulheres na condições de coadjuvantes. Essa perspectiva já foi explorada nos quadrinhos, na série Fábulas, da Vertigo, onde a autora já colaborou e que traz Branca de Neve como uma governante obstinada. Na literatura também temos exemplos dessas personagens femininas tirando o lugar de musculosos príncipes armados com armas brancas. Mas o desafio aqui é que Castelo Adormecido não faz nenhuma releitura dos contos de fadas tradicionais, o cenário é bem conhecido por muita gente.

O traço simples da autora auxilia nessa imersão de fábulas e ajuda a manter a narrativa sempre agradável de se ler. A história também não mostra pressa em apresentar uma conclusão. Desde o início, parece que o relacionamento do público com os personagens dita a história. Tanto que a trama parece ter início mesmo na segunda metade do livro. O extenso prólogo, que remonta às origens do castelo e da protagonista Lady Jaina Solander faz um rigoroso resgate de arquétipos, conceitos e elementos das histórias fantásticas, como bruxas ciganas, hobbits, grifos, goblins e claro, animais falantes. Sem falar das aparições dos Três Porquinhos e de um importante personagem que dubla a cegonha entregadora de bebês.

Destaque que neste primeiro volume de O Castelo Adormecido, a autora revitaliza a história da Bela Adormecida e fala de uma maneira criativa o que acontece depois do conhecido final feliz, em que o então desconhecido príncipe tira sua futura esposa do coma induzido e parte pra “viver feliz pra sempre”. Neste caso, vemos uma intervenção realista de Medley, que imagina um mundo mais difícil para aqueles que ficaram à margem dos grandes enredos da literatura fantasiosa imaginados pelos irmãos Grimm. Aqui, todos os figurantes nessas histórias tem papéis importantes, o que chega a dar a obra um conotação política.

Doce e verdadeiro
Linda Medley sempre foi fascinada pelas histórias cheio de seres fantásticos, e foi leitora ávida dos famosos livros de Andrew Lang. Chegou a colaborar com Neil Gaiman, outro amante dessas narrativas, ainda que a mistura de magia e morbidez das histórias de Sandman separem o trabalho desses dois autores, como lembrou a escritora Jane Yollen na introdução desta edição lançada este mês.

Nas narrativas de Medley, há uma certa delicadeza, mas também um tom realista, evidenciado no roteiro sobretudo, pelo interesse nos pequenos diálogos, nas coisas banais dos personagens, entre outras miudezas importantes para deixar o leitor cúmplice daquele universo.

Ela chegou ainda a trabalhar para a DC, em títulos como Liga da Justiça e Patrulha do Destino. Com Castle Waiting, ela venceu o prestigiado prêmio Eisner de melhor série e teve uma indicação ao Angoulême International, festival que acontece na França todos os anos. Agora é aguardar que a Via Lettera coloque nas ruas o segundo volume. Nos EUA, fãs vivem a expectativa de um terceiro tomo da obra, que pode sair a qualquer momento.

O CASTELO ADORMECIDO VOL 1 – A MALDIÇÃO DO ESPINHEIRO
Linda Medley (texto e arte)
[Via Lettera, 216 págs, R$ 39]

NOTA: 8,5

Sem mais artigos