A escritora norte-americana , primeira mulher negra a vencer o Nobel de Literatura em 1993, morreu na noite da segunda (5), aos 88 anos.

Segundo a Academia Sueca, a escolha por Toni se deu devido ao fato de que “com sua arte narrativa impregnada de força visionária e poesia, ela oferece uma pintura viva de um aspecto essencial da realidade americana”. Toni era uma das vozes mais relevantes contra o racismo nos EUA.

A informação de sua morte foi divulgada por sua editora no Twitter. Nascida no Ohio, nos EUA, ela ficou conhecida por trabalhos que narraram os obstáculos sociais e políticos enfrentados pela população negra na América. Ela também venceu o Pulitzer, em 1988, pelo romance Amada.

Nascida em uma família pobre, era filha de um operário e uma dona de casa – a própria Toni chegou a trabalhar como empregada doméstica quando era jovem. Formou-se em filologia inglesa e foi editora na prestigiada Random House, de Nova York.

Além de Amada, ela tem entre seus livros mais conhecidos o best-seller Jazz (1992) e O Olho Mais Azul (1970), sia estreia. Em 1981 ela lançou Tar Baby, onde aborda a questão da escravidão nos EUA.

Sem mais artigos