Foto: Paulo Floro

Se tem uma banda da cena independente do Recife que pode se orgulhar do prestígio alcançado, essa banda é o Nuda. Aconteceu nessa quarta (8), no Recife o lançamento do novo disco dos pernambucanos, amarénenhuma, lançado para download gratuito mês passado. Com a plateia quase lotada, os quatro integrantes estavam claramente emocionados e os fãs, correspondendo à altura na empolgação.

E escolha de um teatro foi acertada e combinou perfeitamente para a sonoridade do grupo, ainda que a voz de Raphiro não ficasse tão boa quanto ouvimos no disco. O que foi visto na apresentação foi uma equilíbrio perfeito de peso e experimentalismo, melancolia e paisagens sonoras muito bem costuradas. Foi uma proposta ousada, mas cumprida com eficácia tanto pela competência da banda, mas sobretudo pelo público que estava ali entregue.

No repertório, a excelente “Ode Aos Ratos”, versão da música de Edu Lobo e Chico Buarque, “Prece em Ponta de Faca” e “Samba”, todas do disco novo. O músico Bactéria, ex-Mundo Livre S/A subiu ao palco para tocar “Samba de Paleta” e no final, outro convidado especial subiu para participar da grande apoteose, Scalia, na faixa título, “amarénenhuma”.

A cenografia do palco foi obra do ACRE, loja e grife recifense que conseguiu traduzir a identidade visual do novo disco, com os pingos coloridos.

Para quem não conhece a banda e foi ao teatro para descobrir algo novo ou mesmo afim de ver um bom show de rock saiu de lá com a certeza de que o grande destaque da noite no lançamento do novo disco do Nuda foram seus fãs.

Nuda “Toque Pra Calhetas”

Sem mais artigos