Cena de "Era A Guerra das Trincheiras", clássico sobre o conflito. (Divulgação).

Cena de “Era A Guerra das Trincheiras”, clássico sobre o conflito. (Divulgação).

A Primeira Guerra Mundial completa 100 anos neste mês de junho. A data tomada como estopim para o início do conflito foi o assassinato do arquiduque da Áustria, Francisco Ferdinando, em Sarajevo pelo nacionalista sérvio Gavrilo Princip no dia 28 de junho de 1914. Como nenhuma outra arte, os quadrinhos mostraram bastante interesse pelo conflito.

Em outubro deste ano, o festival de quadrinhos The Lakes International Comic Art, em Kendal na Inglaterra, vai abrir uma enorme exposição sobre a Primeira Guerra e a produção de HQs. A mostra terá trabalhos desde os anos 1970 até os dias atuais, das tiras de Charley’s War até o novo Ghosts of Passchendaele, de Ivan Petrus.

Outra obra importante para lembrar os 100 anos do conflito é a coletânea To End all Wars, que traz 27 histórias curtas baseadas em acontecimentos reais. A grande parte é mostrada a partir do ponto de vista de soldados que viveram nas trincheiras da guerra. O livro inclui “The Coward’s War”, de Thomas Highgate, o primeiro soldado britânico executado por deserção durante a Primeira Guerra Mundial. Ainda não há previsão da obra sair no Brasil.

A nova coletânea sobre a Primeira Guerra, que sai este ano. (Divulgação).

A nova coletânea sobre a Primeira Guerra, que sai este ano. (Divulgação).

Veja abaixo HQs importantes sobre o período, que podem ser compradas no Brasil ou importadas.

_74549860_ivanmontage

Ghosts of Passchendaele
De Ivan Petrus (Importado)

Ghosts of Passchendaele é o terceiro livro de uma série de livros de Ivan Petrus sobre soldados belgas, britânicos e franceses que viveram durante a Primeira Guerra. O que mais chama atenção é a arte de Petrus, que é carregada de dramaticidade e traz um tom dark, lúgubre, para remeter às condições terríveis dos que lutavam nos campos de batalha. A HQ teve apenas um preview apresentado, já que o lançamento acontece no The Lakes International Comic Art, em outubro.

joesacco

The Great War: July 1, 1916—The First Day of the Battle of the Somme.
De Joe Sacco (W.W. Norton, Importado)

Joe Sacco, jornalista e quadrinista, ficou conhecido por ser um autor especializado em conflitos. Ele esteve como repórter em países do Oriente Médio e se tornou um nome inovador tanto no jornalismo quanto nos quadrinhos. Agora ele lança seu olhar na Primeira Guerra Mundial. E faz isso de um jeito bem inusitado. O livro The Great War é na verdade um imenso painel dobrável, um monumental trabalho de edição que utiliza bem a experiência da leitura em papel impresso.

Era a Guerra de Trincheiras - Jacques Tardi (5)

Era A Guerra das Trincheiras
De Jacques Tardi (Editora Nemo)

Um dos maiores clássicos dos quadrinhos europeus, Era A Guerra das Trincheiras mostra o lado mais desumano do conflito. O francês Jacques Tardi teve a sensibilidade necessária para denunciar o absurdo da guerra em texto e imagem feitos para chocar o leitor. É uma obra bem realista que milita pelo pacifismo e por isso serve como libelo contra todas as guerras. A editora Nemo lançou o livro em uma edição de luxo que enalteceu ainda mais o trabalho de Tardi

as inimigo

Ás Inimigo – Um Poema de Guerra
De George Pratt (Editora Abril, Esgotado)

Clássico dos quadrinhos, hoje encontrado apenas em raríssimos sebos, Ás Inimigo é um dos mais importantes trabalhos de George Pratt e foi lançado no Brasil em 1995 pela Abril. Na obra, Pratt se aproveitou de um personagem criado por Joe Kubert em 1965. Conhecido como “Martelo do Inferno”, o piloto alemão Hans Von Hammer era um assassino eficiente no ar. Agora, já velho, ele dá entrevista a um jornalista que pesquisa sobre nomes famosos da 1ª Guerra. Só que tanto entrevistador quanto entrevistado possuem feridas trazidas por conflitos, já que o repórter é veterano da Guerra do Vietnã. A cena que mostra soldados inimigos confraternizando no Natal é de cortar o coração.

charleys

Charley’s War
De Pat Mills e Joe Colquhoun (Titan Books)

A tira Charley’s War é um clássico entre os quadrinhos ingleses e fez bastante sucesso durante o período em que foi publicada, de 1979 a 1985. A história trata da vida do soldado que batiza a obra, Charley Bourne, que se alista no exército com apenas 16 anos, mentindo a idade para poder ir à guerra. Na sua longa jornada ele vivencia momentos de horror e traz um lado mais humano, de como as pessoas comuns reagiam ao conflito. A dupla pesquisou bastante para entregar uma HQ com relatos e desenhos bem realistas. Tanto que algumas páginas foram censuradas em novas edições já que eram perturbadoras demais. A trama trazia ainda reflexões políticas e foi inovadora ao seu tempo por evitar o heroísmo de figuras históricas que eram praxe em obras sobre o conflito até então.

Sem mais artigos