OS FANTASMAS DE REZNOR
NIN briga com gravadoras, faze disco independente e mantém acesa a discussão sobre propriedade intelectual na era da internet
Por Ricardo Malta

Dezenove anos atrás, o Nine Inch Nails lançava seu debút fonográfico, o single Down in It. Pouco depois, em 20 de outubro de 1989, era lançado seu primeiro álbum, Pretty Hate Machine. Em 1992 lançam o EP Broken e menos de vinte e quatro meses depois a obra-prima The Downward Spiral. Ficam um bom tempo sem gravar um disco, e em 1999 colocam o duplo The Fragile no topo da parada da Billboard. Na semana seguinte as vendas caem vertiginosamente e a banda somente retorna com um novo trabalho em 2005, com With Teeth. O álbum seguinte, Year Zero, crítico em relação ao governo dos Estados Unidos, é lançado em 2007.

Este pequeno resumo serve como introdução à nova aventura musical de Trent Reznor, Ghosts. Lançado no último dia 2 de março, o álbum é composto de 36 músicas divididas em 4 volumes. Todas as faixas são instrumentais e nenhuma delas tem nome. Elas somente podem ser identificadas por números.

Com pouco alarde, parcas informações e nenhuma gravadora, este disco representa o primeiro lançamento independente da banda. Após as brigas com Interscope e a Universal Music e com o conseqüente término do contrato que envolvia os três, o NIN resolveu lançar o disco diretamente na grande rede, utilizando uma licença Creative Commons para uso não comercial da obra.


De download gratuito a CD Duplo a US$ 75: novo disco para todos os bolsos

É um projeto distinto na trajetória da banda, apesar de ter certas similaridades com o que foi feito com Year Zero e seu alternate reality game.

A empreitada contou com a participação de Atticus Ross e Alan Moulder nos arranjos, na mixagem e na produção do disco. Já na parte musical os convidados foram Alessandro Cortini, Adrian Belew e Brian Viglione, enquanto que Rob Sheridan cuidou dos conceitos visuais que complementam a obra..

No hotsite de Ghosts há opções para todos os bolsos. Pode-se baixar gratuitamente as nove faixas que compõe o volume I, assim como pagar U$ 5 pelo download dos arquivos em mp3, U$ 10 pelo cd duplo ou U$ 75 pelo cd duplo acrescido de um dvd e um disco em Blu-ray com as faixas em múltiplos formatos de áudio. Havia também a versão Ultra-Deluxe limitada a 2.500 edições, que encontra-se esgotada. Pelo que consta, em apenas três dias foi faturado o equivalente a U$ 750 mil em vendas pela internet.

Ao tentar encontrar novos rumos tanto para si quanto para uma indústria que não se atualiza frente a uma realidade digital muito mais dinâmica e com infinitas possibilidades, Reznor proporciona um apanhado de canções que podem ser encarados como uma trilha-sonora mutável ao gosto do ouvinte. Como muitos acertadamente já disseram, tratam-se de temas que poderiam ser encaixados em filmes distintos ou mesmo em imagens das mais variadas. Até então, do ponto de vista musical, a iniciativa mais próxima a esta feita pela banda, fora a trilha original para o jogo Quake.

Desde o início, Trent Reznor sempre se preocupou com os aspectos visuais de sua obra. Pode-se perceber isto nas capas e nos encartes dos singles, discos e vídeos, assim como na caprichada produção dos shows e dos videoclipes. Esta preocupação tornou-se um referencial para os fãs, que sabem que um disco da banda nunca se resume apenas à música.

Corroborando isso, cerca de duas semanas atrás, Reznor tomou mais uma interessante iniciativa ao criar o Ghosts Film Festival. A idéia é criar vídeos inspirados em quaisquer faixas do álbum e exibi-los através do YouTube. A princípio não há prêmios e a real motivação parece ser apenas a interação entre os fãs e a banda.


Novos Rumos: Reznor lançou o novo disco sob uma licensa Creative Commons

É de se esperar o resultado disto, uma vez que por ser totalmente instrumental, o disco deve ter as mais variadas e bizarras interpretações daqueles que querem colocar em imagens o que sentem ao escutá-lo.

Não se pode precisar o impacto ou mesmo a relevância imediata de tais atitudes para um mercado ainda milionário. No entanto, com iniciativas como a do Radiohead e seu In Rainbows no ano passado, e agora com o Nine Inch Nails e seu Ghosts, a tendência parece ser que as grandes bandas se distingüam das demais não só pela qualidade de sua música, mas inclusive pela capacidade de trabalhá-la em qualquer mídia existente.

NOTA: 10

SAIBA MAIS:
Hotsite Ghosts: http://ghosts.nin.com
Ghosts Film Festival: http://br.youtube.com
Creative Commons: http://creativecommons.org
Year Zero Game (Alternate Reality Game): http://en.wikipedia.org
Site Oficial: http://www.nin.com
Nine Inch Nails Brasil: http://www.ninbrasil.com/

Sem mais artigos