Bo$$ in Drama (Foto: Gustavo Onassis)

NEW RAVE @ BRASIL
Bo$$ in Drama e NRK ganham os holofotes como os principais nomes do estilo idealizado pelos Klaxons. Mas que danado é niu reive?
Por Hiran Hervé

Assim que surgiu, pairava a dúvida no ar: “o que é new rave?”. Um estilo, uma tendência, um movimento? Foram várias formas pensadas para definir o que acontecia nas pistas do mundo inteiro e não foi diferente nos principais clubes do Brasil. O New Rave, que teve o pontapé inicial com direito a batizado aconteceu a partir de uma depoimento do líder do Klaxons, Jamie Reynolds, tentando explicar o que acontecia em suas apresentações. Logo em seguida, outras bandas foram taxadas com o novo emblema hype, como Justice, The Rapture e LCD Soundsystem. Agora, no Brasil, pululam novos nomes dessa cena, entre eles Bo$$ in Drama e New Rave Kids on The Block.

A mistura, antes uma impossibilidade, finalmente se mostrava capaz: baixos, sintetizadores com teclado e vocais, elementos básicos da cena rock, mesclados a boas batidas eletrônicas davam corpo ao que se chamava, então, New Rave. Visando trazer de volta a alegria e o clima das raves, famosas nos anos 90, o novo estilo colaborou para trazer certo descompromisso às pistas, sem abrir mão de boa produção. Aliados a um visual forte de cores néon, atitude rocker e o excesso de elementos sonoros na música, os artistas conseguiram trazer um novo vigor e brilho às pistas, nos últimos anos muito focadas em minimal, techno e house. Esta parece ser uma das maiores, senão a maior característica do estilo, a diversão.

Péricles Martins, 21 anos, é o nome por trás do Bo$$ In Drama, um dos caras que parece imprimir esta a atitude para os clubes. Natural de Curitiba, Péricles é dito como uma promessa a trazer boas colaborações aos nossos ouvidos e festas nesse ano. Desde 2007, quando começou seu trabalho nos clubes e divulgação online, Péricles tem recebido críticas favoráveis e ótima recepção do público. E pistas cheias, o que é mais importante. O Bo$$ In Drama usa samplers de artistas como Daft Punk, Donna Summer e Michael Jackson, insere material produzido por ele mesmo e ainda canta ao vivo. Para conferir a aparente bagunça sonora, basta ouvir o remix de “Galaxxy Of The Lost” feito para a banda inglesa Lightspeed Champion.

New Rave Kids on The Block (Foto: Divulgação)
O NRK ao vivo

Outro bom expoente dessa leva são os rapazes do New Rave Kids On The Block, atualmente abreviados apenas para NRK. Banda composta por Cello, 27, Raphael Caffarena, 21 e Goos, 20 em meados de outubro de 2007. O projeto começou quando eles perceberam que existiam duos que quando tocavam, apenas um colocava as mãos nos decks, enquanto o outro bebia cerveja. E então eles pensaram: “Porquê não?” Depois de algumas reuniões para começar a fazer as músicas, criaram remixes para discotecagens que nunca aconteceram, mas que trouxe a idéia de montar uma banda.

Foi aí que o Goos entrou para o trio. Para Caffarena, o processo de criação das músicas sempre foi feito numa reunião de amigos. Logo no início se juntavam, conversavam, gravavam e OK. Tudo pronto para soltar na web. Atualmente, há um cuidado maior com cada uma das composições, conflito de idéias, mas com um melhor resultado sonoro. Os rapazes têm a intenção de lançar um EP virtual em breve. O NRK em suas apresentações tiram onda de boy band, falam de seus problemas pessoais e possuem muito da atitude punk. Tipo: “não sabemos tocar de verdade, mas estamos fazendo o nosso”. E nisso eles podem ser comparados com outras bandas que também adquiriram a pecha de new rave, como CSS, Bonde do Role e Mono 4.

Ao ouvir “Strange Phenomenon” fica fácil imaginar os rapazes tanto num palco ou atrás de pickups. É importante grifar o fato de tanto o Bo$$ In Drama como o NRK produzirem tudo em casa e de possuírem um ótimo contato entre si, o que pode trazer bons frutos no futuro. As pistas agradecem.

[+] ESTILO É FRUTO DA WEB 2.0

Sem mais artigos