CAPA: A LIBERTAÇÃO MUSICAL DE MÁRCIA
Por Pedro Salgado, em Lisboa

Ela é um dos raros exemplos de cantautora, em nome próprio, de Portugal. A escola jazzística do Hot Clube de Lisboa e as aulas de canto ajudaram-na a criar um modelo assente na harmonia que teve os primeiros resultados no seu EP de estreia. Para além de dar voz ao projeto de recuperação do cancioneiro português das décadas de 1950 e 1960, Real Combo Lisbonense, Márcia apostou na carreira solo. Dá é resultado de dois anos de composições que encontraram em João Paulo Feliciano o produtor certo.

MÚSICA
Divas em xeque: Lady Gaga. Reportagem de Marta Souza
Nova seção Manteiga no pão: as escolhas musicais de Helder Bezerra, do SFA
Serge Gainsbourg: 20 anos sem o Homem da Cabeça de Repolho, por Iara Lima
+ Música: Tapes’n Tapes; Cage The Elephant; The Decemberists; Joan As A Police Woman
Entrevista: Diabo na Cruz renova a cena pop portuguesa

CINEMA
Histeria Oscar
O Discurso do Rei: um filme talhado para a Academia
A Rede Social e a nova ordem
Toy Story 3 e as animações do Oscar
O épico loser de O Vencedor
A pobreza em análise no Inverno da Alma
O estilo kidmanesco em prova em Reencontrando a Felicidade
Comentário: Sobre o Oscar e até onde ele importa
Lista de indicados

Crítica: Música encobre falhas de The Runaways

QUADRINHOS
Crítica: Política e maconha em Ex-Machina, por Tarsio Abranches
+ Quadrinhos: The Spirit – As Novas Aventuras; O Pequeno Livro dos Beatles; Powers Vol.01

SOCIEDADE
Wikileaks e os novos tempos de guerra, por Tiago Negreiros

COLUNAS
Iara Lima: Hoje tem manteiga de verdade
Gabriel Gurman: You’re Soul Slides Again

Sem mais artigos