O disco Paêbirú é um caso estranho na música brasileira. Gravado em 1975 no Recife, ele foi vítima de uma enchente na cidade que destruiu mais de mil unidades de sua primeira impressão (de 1300 cópias). Gravado por Zé Ramalho e Lula Côrtes, morto no ano passado, o álbum acabou não fazendo sucesso à época, mas tornou-se influente para gerações seguintes, que foram alimentando lendas ao redor de sua produção.

Pelas poucas unidades disponíveis, tornou-se raro. Colecionadores chegam a pagar R$ 4 mil por um vinil em bom estado. Acredita-se que a maior parte dos álbuns da primeira impressão encontram-se em lojas de discos na Europa e EUA, ou em coleções privadas. A Expoidea, festival de tecnologia e cultura que acontece no Recife esta semana homenageia o álbum com um show nesta quinta (10), na Rua da Moeda, Recife Antigo.

O músico Missionário José juntou nomes pernambucan os para tocar o álbum na íntegra e na ordem original do disco. A geração 2005 das bandas de rock participam do show, entre eles a Parafusa e Mellotrons. A apresentação é gratuita e está prevista para começar às 22h.

Veja abaixo quem são os músicos participantes.

Direção Musical: Missionário José e Haymone Neto

Músicos:
André Sette – Teclados, Theremin, Flauta e Voz (Anjo Gabriel)
Bernardo Braga – Guitarra (Superoutro)
Carlos Amarelo – Percussão e Voz (Azabumba – Forró Rabecado)
Diogo Andrade – Guitarra e Voz (Parafusa)
Haymone Neto – Guitarra e Voz (Mellotrons)
Lucas Araujo – Bateria e Voz (Parafusa)
Missionário José – Baixo, Laptop e Voz (Lulina – Diversitrônica)
Publius – Bandolim elétrico e Voz (Azabumba – Forró Rabecado)
Vinícius Lima – Bateria e Voz
Participação especial (Expoideia 2012):
Pedro Mesel – Percussão, Efeitos e Voz
Alberto Reis – Guitarra

Sem mais artigos