TROUBLE OVER TOKYO
Pyramides
[Klein, 2008]

Em pequenos apontamentos após uma primeira audição do Trouble Over Tokyo percebemos que se trata de uma banda emo com forte inspiração no electro-pop. Após outras chances, os ouvidos já percebem outras influências e elementos sonoros, entre eles violino e piano. Formados na Inglaterra, a banda não se define entre o pop radiofônico rasteiro e o experimentalismo, mesmo que discreto, das batidas. Grupo minúsculo no cenário britânico, o Trouble Over Tokyo corre o risco de ser riscado no caderninho de bandas relevantes da turma de 2008. Precisa antes se encontrar pra crescer. [PF]

NOTA: 4,0

MARK LANEGAN E ISOBEL CAMPBELL
Sunday at Devil Dirt
[V2, 2008]

A idéia por trás da parceria do ex-Screaming Trees Mark Lanegan e a ex-Belle and Sebastian Isobel Campbell se baseia no contraste, uma beleza baseada na mais óbvia dicotomia, com a voz gutural de um se contrapondo à docuro do outro. No primeiro disco, The Ballad of the Broken Seas (2006), esta premissa funcionou bem, recebendo elogios da crítica. Neste Sunday at Devil Dirt parece que a dupla esbarrou na própria fórmula, que acumulou um desgaste, mesmo com tão pouco tempo em uso. Assim como no disco anterior, Campbell ficou responsável por todas as faixas da parceria, mas agora ela não carrega mais o impacto emotivo de outrora. Tudo se baseia na monotonia e num tom quase modorrento, que guia todo o disco. [PF]

NOTA: 5,5

Sem mais artigos