Cena do filme Funny Ha Ha, de Andrew Bujalski

CONTEÚDO NOVO, FÓRMULA VELHA
Por Rafael Dias

A estética mumblecore, apesar de utilizar uma tecnologia de ponta inédita e recursos fáceis de filmagem e edição, nada resguarda de novo. A maneira de filmar a realidade dos jovens dos anos 2000 não é muito diferente, por exemplo, daquela feita nos anos 40/50 pelo neo-realismo italiano de Roberto Rosselini (Roma, Cidade Aberta), Vittorio de Sica (Vítimas Da Tormenta) e Luchino Visconti (Rocco e Seus Irmãos). Há meio século atrás, quando o cinema ainda engatinhava em produções de estúdios pequenos, forjou-se um estilo de filmar perto do povo, nas ruas, autêntico e vivo. Em A Terra Treme (1948), de Visconti, a premissa é levada ao extremo. Anônimos de uma comunidade de pescadores na Sicília encarnam eles mesmos em seu próprio habitat. Quase não há atores profissionais.

Em outros tempos, é provável que a geração mumblecore busque se rebelar contra massificação da imagem: a dos grandes estúdios e corporações midiáticos. O estilo “faça-você-mesmo” do youtube parece ser mais atraente como maneira de canalizar a identificação pela imagem ou mesmo um capricho voyeurístico. A verdade é que, independente da forma, o conteúdo traz alguma nova reflexão sobre a juventude que está sendo formada hoje. Outros cineastas como Gus Van Sant, Larry Clark e Lukas Moodysson se detêm sobre a mesma temática: o que a apatia e a resignação dos tempos pós-modernos vem causando na parcela mais jovem da população? Que efeitos isso causará no futuro?

Isso não se sabe. Tampouco é impossível prever no que irá desembocar o mumblecore. Como não assumem posição política nem ideológica, fica difícil saber de que lado tomam parte, até que ponto há um traço de mea-culpa, de compaixão ou indiferença ao caos interno que devora o ímpeto da juventude de hoje. O importante é que não se deslumbre nem sufoque o movimento. Ainda está em sua fase embrionária, falta maior amadurecimento. Mas pode ser que daí brote algo novo para a já tão cansada geração do Século 21.

[+] NOVA ONDA DO CINEMA INDIE: MUMBLECORE
[+] MUMBLECORE EM VÍDEOS

Sem mais artigos