Héctor Oesterheld e Alberto Breccia são dois dos nomes mais importantes dos quadrinhos argentinos. Agora, uma das obras mais importantes da dupla, pode chegar ao Brasil. A editora Figura iniciou o financiamento coletivo de Mort Cinder, lançado originalmente nos anos 1960 e ainda inédita por aqui.

A trama fala de Ezra Winston, um proprietário de um antiquário londrino que vive cercado de objetos que trazem um pedaço da História. Um dia, um relógio estilo Luís VI passa a funcionar misteriosamente, ao mesmo tempo em que chega às suas mãos um amuleto. Ambos se tornam chaves de um enigma que fará Ezra adentrar os subúrbios de Londres até encontrar um ser imortal, o Mort Cinder do título. Conhecido como “o homem das mil mortes”, esse indivíduo carrega o peso da saga humana sobre a Terra, das trincheiras da 1ª Guerra Mundial ao navios do tráfico de escravos.

“Oesterheld foi, penso eu, um dos mais prolíficos roteiristas de sua época; sem temor de escrever sobre qualquer gênero e procurando sempre sondar a profundidade do ser humano, com todo o valioso e o insignificante que nele prospera”, escreve Eduardo Risso no prefácio dessa edição. “Nesta obra se traduz todo o potencial artístico de Breccia”, diz o mesmo Risso sobre Breccia.

A chegada de Mort Cinder ao Brasil é algo a se comemorar, pois ainda celebramos pouco os grandes clássicos dos quadrinhos de nosso continente. Isso explica o fato de O Eternauto, um absoluto clássico argentino, ter demorado tanto a chegar por aqui.

A campanha de financiamento é algo imprescindível para uma editora pequena e independente como a Figura. O Catarse serve como uma espécie de pré-venda que financia a obra. Quem colaborar poderá adquirir a HQ por um preço mais barato, R$ 60 (nas livrarias sairá por R$ 89,90).

A edição brasileira terá capa dura, formato 21×29,7, papel couché e 232 páginas em preto e branco. Acesse a página da campanha no Catarse.

Sem mais artigos