Um dos mais importantes nomes do quadrinho argentino, morreu aos 86 anos neste último sábado (28) na ilha de Mallorca, na Espanha. As informações são da agência EFE. Mordillo sofreu uma indisposição enquanto jantava com a família em um restaurante na cidade de Palma Nova.

Ele ainda seguia ativo na profissão, atuando como cartunista e ilustrador. Sua obra era conhecida pelo uso de cores vivas, representações de animais (sobretudo girafas), um maximalismo cheio de detalhes e bastante uso de movimento.

Obra de Mordillo: quadrinhos sem diálogos. (Divulgação).

Ele também ficou famoso por quase nunca usar a linguagem escrita em seus trabalhos, abrindo mão de balões de diálogos e recordatórios. Isso facilitou que sua obra fosse conhecida em todo o mundo.

Mordillo: ativo até o fim. (Reprodução/TV24).

Nascido em Buenos Aires, Mordillo teve uma infância bastante humilde e começou a desenhar aos 13. Se mudou para o Peru aos 23 anos e, de lá, para Nova York, nos EUA, onde trabalhou com animação, sobretudo do personagem Popeye. Em seguida viveu 17 anos em Paris, onde alcançou fama mundial.

No Brasil ficou conhecido pelos quadrinhos sobre futebol, um dos seus temas mais recorrentes. Seu trabalho pôde ser visto no livro Futebol & Cartuns, que saiu em 2015.

 

Sem mais artigos