Cena do filme O (Foto: Reprodução)

A grande cabeça por traz do filme Bicho de Sete Cabeças, o escritor Austregésilo Carrano Bueno, morreu ontem, aos 51 anos, de um câncer no fígado. Ele estava internado desde segunda-feira (26), no Hospital das Clínicas, em São Paulo.

O autor escreveu o livro Canto dos Malditos, lançado nos anos 90, que narrava supostos abusos praticados em centros psiquiátricos em Curitiba e no Rio, dos quais era interno, o que originou o filme Bicho de Sete Cabeças (2001), dirigido por Laís Bodanzky e com no elenco principal.

Bueno foi internado aos 17 anos, em 1974, após seu pai ter encontrado uma trouxinha de maconha nos seus pertences. Ele narra, então, que era submetido a sessões de eletrochoque e a tomar medicamentos fortes, além do relacionamento difícil com os funcionários dos centros em que estava internado. Como conseqüência dos anos de internação, segundo ele, teve problemas de visão e seqüelas no crânio. Carrano Bueno tornou-se mais tarde um dos símbolos do movimento antimanicomial.

Sem mais artigos