A Justiça russa condenou os membros do Pussy Riot que invadiram o jogo da final da Copa do Mundo no último domingo (15). Durante a partida de França e Croácia o grupo realizou um protesto artístico contra as prisões políticas na Rússia.

A ação foi totalmente sem violência e os integrantes chegaram a cumprimentar os jogadores. O atacante francês Mbappe foi receptivo ao grupo enquanto que alguns jogadores croatas se mostraram hostis. Toda a ação durou menos de dois minutos e os membros foram arrastados por segurança para fora do estádio.

Veronica “Nika” Nikulshina, Olga Kurachyova, e Pyotr Verzilov estavam vestidos como policiais. Em um post no Facebook, o Pussy Riot reivindicou, entre outras coisas, o fim das prisões em protesto e a permissão da competição política na Rússia, além da liberdade dos presos políticos hoje.

Nika, Olga e Pyotr foram condenados a 15 dias de prisão “administrativa”, o que significa uma cela especial. Também estão proibidos de frequentar eventos esportivos por três anos.

O grupo punk feminista Pussy Riot é hoje um dos maiores críticos do atual presidente Vladimir Putin. Elas chamaram atenção do mundo em 2012 quando realizaram uma “oração punk” em uma igreja em Moscou. Por esse ato três integrantes foram presas por 22 meses.

Desde então o grupo tem realizado diversos atos tendo como principal bandeira o fim das prisões políticas.

Sem mais artigos