Finalizando nossos especiais de melhores de 2018 publicamos aqui as escolhas pessoais de cada membro de nossa equipe. Aproveite para curtir as nossas listas e análises do ano que passou nos links abaixo. Nos vemos no ano que vem!

Especial: Melhores de 2018
Os 30 melhores quadrinhos de 2018
As 50 melhores músicas do ano
Os 30 melhores discos do ano
Podcast especial com o melhor do cinema, teatro e arte

Túlio Vasconcelos, produtor de cinema e redator da Revista O Grito!

MELHORES DISCOS
1 Baco Exu do Blues – Bluesman
2 Carne Doce – Tônus
3 Ariana Grande – Sweetener
4 Elza Soares – Deus É Mulher
5 Maria Beraldo – Cavala

MELHORES MÚSICAS
1 Bluesman (Baco)
2 Cabeça de nêgo (Karol Conka)
3 Deus Há de Ser – Elza Soares
4 Emicida (Pantera Negra)
5 All The Stars (Kendrick Lamar)

O MELHOR DO AUDIOVISUAL
Pantera Negra (Ryan Coogler)
Infiltrados na Klan (Spike Lee)
Trama Fantasma (Paul Thomas Anderson)
Três anúncios para um crime (Martin McDonagh)
As Boas Maneiras (Juliana Rojas e Marco Dutra)
O Processo (Maria Augusta Ramos)
Aos teus olhos (Carolina Jabor)
Destaque pernambucano: Guaxuma (Nara Normande, animação)

LIVROS
Como as democracias morrem (Steven Levitsky e Daniel Ziblatt)
O que é lugar de fala? (Djamila Ribeiro)
Canções Iluminadas de Sol (Carlos Gomes)

Alexandre Figueirôa, editor-executivo da Revista O Grito! e professor da Unicap

Destaques Audiovisual 2018
Verão (Leto) direção Kirill Serebrennikov, Russia, 2018
O Homem que Surpreendeu Todo Mundo, ficção, direção Natalya Merkulova, Rússia, 2018
A Casa das Flores, direção Manolo Caro, série Netflix, México, 2018.
Reforma, direção Fábio Leal, curta ficção, Brasil, 2018.
Infiltrado na Klan, direção Spike Lee, ficção, USA, 2018.
Kinshasa Makambo, direção Dieudo Hamadi, documentário, República do Congo, 2018.
Festival Mix Brasil 2018, São Paulo

Destaques Músicas 2018
Coro, Bule
Acabar a Brincadeira, Romero Ferro
O Rio aos Olhos Dela, Torre
All the Stars, Kendrik Lamar, SZA
So Good, Ozonna

Paulo Floro, jornalista e editor da Revista O Grito!

MELHORES DISCOS
1 Rosalía – EL Mal Querer
2 Baco Exu do Blues – Bluesman
3 Elza Soares – Deus é Mulher
4 Snail Mail – Lush
5 Alex Anwandter – Latinoamericana

MELHORES MÚSICAS
1 Rosalía – Malamente (Cap. 1: Augurio)
2 Baco Exu do Blues – Bluesman
3 Snail Mail – Pristine
4 Robyn – Honey
5 bule – Coro

Rafaella Soares, jornalista, gestora de mídias sociais na Mondo Branded Content

MELHORES DISCOS
1 Baco Exu do Blues – Bluesman
2 Anelis Assumpção – Taurina
3 Diomedes Chinaski – Mixtape Comunista Rico
4 Drake – Scorpion
5 The Carters – Everything is Love

MELHORES MÚSICAS
1 Dwa Serduszka Cztery Oczy – Magda Umer (Zimna Wojna Soundtrack)
2 BB King – Baco
3 Girassóis de Van Gogh – Baco
4 Bixinho – Duda Beat
5 God’s Plan – Drake ou Summer Time High Time de Cuco!

O MELHOR DO AUDIOVISUAL
– Cold War (Melhor Direção no Festival de Cannes + Expectativa Fundaj 2019)
– La Casa de Las Flores (Netflix)
– My Brilliant Friend (HBO)
– O Processo
– Nico 1988
– The Handmaids Tale (Hulu)

LIVROS
– A Amiga Genial
– História do Novo Sobrenome
– História de Quem Foge e de Quem Fica
– História da Menina Perdida
– A Filha Perdida

Isabela Caldas, jornalista e colaboradora

MELHORES DISCOS
1 Sinto Muito – Duda Beat
2 Bluesman – Baco Exu do Blues
3 Deus é Mulher – Elza Soares
4 Taurina – Anelis Assumpção
5 Azul Moderno – Luiza Lian

MELHORES MÚSICAS
1 Bixinho – Duda Beat
2 Flamingos – Baco Exu do Blues
3 This Is America – Childish Gambino
4 Amor Verdade – Maria Beraldo
5 Partilhar – Rubel

O MELHOR DO AUDIOVISUAL
– Canal de Débora Baldin no Youtube
– Quanto Craude no Meu Sovaco (Duda Menezes, Fefa Lins)
– Todas As Canções de Amor (Joana Mariani)
– Benzinho (Gustavo Pizzi)
– Hannah Gadsby: Nanette

LIVROS
– Fun Home de Alison Bechdel

Éber Pimenta, músico da banda Gelo Baiano e colaborador de música

MELHORES DISCOS

1 – Tranquility Base Hotel + Casino (Arctic Monkeys)
2 – Lush (Snail Mail)
3 – Bluesman (Baco Exu do Blues)
4 – Tônus (Carne Doce)
5 – Soy Pablo (Boy Pablo)

MELHORES MÚSICAS
1 – This is America (Childish Gambino)
2 – Four out of Five (Arctic Monkeys)
3 – Angels Eyes (FUR)
4 – New Light (John Mayer)
5 – Bixinho (Duda Beat)

O MELHOR DO AUDIOVISUAL
– Um Lugar silencioso
– Vingadores: Guerra Infinita
– Pantera Negra
– Demolidor Season 3
– Narcos Mexico

Lucas Nash, jornalista e colaborador de música

MELHORES DISCOS
1
Isolation; Kali Uchis

Kali Uchis em seu primeiro registro entregou um trabalho bem lapidado. Com um catálogo que abrange diversos gêneros e influências desde um r&b lascivo; ao um soul com boas doses nostálgicas do que era produzido pela Motown e até a ritmos mais contemporâneos, como o reggaeton; Uchis, com ajuda dos seus produtores, soube de forma assertiva entregar um trabalho coeso que transita por uma atmosfera hipnótica e voluptuosa.

2
Tônus; Carne Doce

Tônus, terceiro registro da banda goianiense Carne Doce, é com certeza um dos melhores trabalhos já entregues pela banda. O disco traz composições mais introspectivas e delicadas em relação aos registros anteriores. As canções exploram temas bem particulares dos integrantes que, por vezes, o ouvinte pode se encontrar em alguns versos, mas, logo em seguida, se perde em meio às confissões e amarguras de canções como “Comida Amarga”, por exemplo. Um reflexo de um eu-lírico profundamente enraizado nas experiências particulares.

3
7; Beach House

7 apresenta o duo de dream-pop Beach House mais tangível em relação aos trabalhos antecessores. Desviando-se um pouco da estética de canções mais suaves aos ouvidos do público, o duo trabalha com guitarras mais presentes, arranjos com tons mais graves, ruídos, e imergem suas composições em uma sonoridade psicodélica. Claro, que não deixaram de manter as canções típicas do Beach House, mas nem de longe se tornam repetitivas em meio ao arsenal de composições de mais de uma década de carreira da dupla.

4
Sinto Muito; Duda Beat

A pernambucana Duda Beat com certeza foi uma das melhores revelações de 2018. Com o debut Sinto Muito, Duda caiu nas graças do público por tratar de um tema tão presente na contemporaneidade: as relações efêmeras. Toda essa mistura de sentimentos amargos é embrulhada em canções carregada de alto astral, indo desde pop, samba, rap, reggae e ritmos regionais.

5
No Shame; Lily Allen

Lily Allen juntou todas as decepções e momentos dolorosos vividos nos últimos anos e deu vida a um dos registros mais sinceros e delicados de sua carreira. No Shame é o retrato das dores que a britânica sofreu por questões amorosas, assedio da mídia e pela distância da filha. Um registro que soube dialogar muito bem com os gêneros que o seu álbum anterior não conseguiu. É um trabalho mais introspectivo que opta por arranjos mais dosados, sem excessos e de uma carga emotiva que transborda nas canções mais melancólicas.

MELHORES MÚSICAS

1
“After The Storm (feat. Tyler The Creator & Bootsy Collins)”; Kali Uchis

“After The Storm” foi a canção chave do Isolation para Kali Uchis torna-se motivo de atenção para além do público que já a conhecia desde o EP Por Vida. Acompanhada pelo rapper Tyler The Creator e por Bootsy Collins, a colombiana constrói um soul desacelerado, de guitarras hipnóticas e distantes, um baixo bem destacado e um série de elementos que dão uma atmosfera empoeirada a faixa.

2
“Summer Love”; YMA & GAB

A parceria entre as brasileiras YMA e Gab Ferreira rendeu um dos melhores singles desse ano. Adotando uma estética retrô, as cantoras apresentam uma canção que fisga o ouvinte na primeira audição. Guitarras ensolaradas, sintetizadores acanhados e vocais desalentados fazem de “Summer Love” uma composição melancolicamente prazerosa.

3
“Cariño”; The Marías

Os novatos do The Marías, composta pelo Josh Conway e María, debutaram ano passado com o EP Superclean Vol. I. Neste ano, deram continuidade ao trabalho com o volume 2 do EP. “Cariño”, canção escolhida para apresentar no novo trabalho, é a mistura perfeita de um indie-rock sofisticado, com riffs climáticos e arranjos de metais que resgatam a sonoridade de ritmos latinos do século passado. A banda apresenta uma canção levemente psicodélica na qual os vocais lascivos de María entoam versos confessionais sobre um amor platônico.

4
“Azul Moderno”; Luiza Lian

As despedidas e os fins das relações amorosas nunca são fáceis, mas, em “Azul Moderno”, Luiza Lian narra a decisão de seguir caminhos paralelos ao romper com um antigo amor. Numa costura de ruídos, pequenas transições eletrônicas e arranjos de corda, a cantora vai lentamente preenchendo o silencio dos minutos iniciais com metais, uma percussão dosada e a poesia do eu-lírico.

5
“love4eva (feat. Grimes); LOONA

Enquanto o ocidente era bombardeado pelo os hits de grupos de K-pop como BTS e BLACKPINK, na Coréia do Sul surge um dos grupos mais interessantes dessa nova safra do pop oriental. LOONA é um grupo composto por 12 integrantes em que cada uma delas lançou singles antes mesmo do debut oficial. Além disso, o grupo criou um mundo fictício onde as integrantes possuem suas próprias histórias e conflitos e os clips lançados dialogam narrativamente entre-se, motivo que levam os fãs a criarem teorias a cada novo lançamento do girlgroup, quase como um Game of Thrones do Kpop. Em “love4eva” o grupo entrega uma das parcerias mais excêntricas do K-pop. Grimes produziu para o LOONA uma canção synth-soft do que entregou em Art Angels (2015). Com beats e sintetizadores frenéticos, a canção explode com os recursos eletrônicos e o pop chiclete, como se Grimes propositalmente tivesse deslizado o dedo em algum botão no processo de mixagem para deixar a canção mais acelerada.

Sem mais artigos