Por Paulo Floro e Eduardo Dias

A revolução pode não estar sendo televisionada, mas os videoclipes em 2015 estão trazendo questões e vozes relevantes para questões urgentes do momento que vivemos.

Artistas como Kendrick Lamar, Emicida e Troye Sivan usaram um dos meios mais populares nesta era do YouTube para comunicar algo que ainda pode incomodar, mas que necessita de um olhar mais atento.

Nos formatos, 2015 também encontrou espaço para inovações, como Sia e sua aposta na dança performática em “Elastic Heart”, David Bowie e o exercício do surrealismo em formato de clipe com a doidice inventiva “Blackstar” e M.I.A caprichando nas alegorias para falar da crise migratória em “Borders”. E uma boa lista de clipes não poderia deixar de fora as superproduções com histórias bem contadas. Para representar bem essa categoria temos “Amor Marginal” com Johnny Hooker bem dramático como uma deusa do desejo e Rihanna maravilhosa e vingativa em “Bitch Better Have My Money”. Com vocês, os 20 melhores clipes de 2015!

20
A$AP ROCKY – “L$D” (direção: Dexter Navy + A$AP Rocky)

19
JOHNNY HOOKER – “Amor Marginal” (direção: Matheus Senra)

18
FKA TWIGS – “M3LL155X” (direção: FKA twigs)

17
BANDA DO MAR – “Dia Clarear” (direção: Thiago Calvino)

16
EMICIDA com VANESSA DA MATA – “Passarinhos” (direção: Rafael Kent)

15
ONEOHTRIX POINT NEVER – “Sticky Drama” (direção: Jon Rafman + Daniel Lopatin)

14
BJÖRK – “Black Lake” (direção: Andrew Thomas Huang)

13
TAYLOR SWIFT e KENDRICK LAMAR – “Bad Blood” (direção: Joseph Khan)

12
SIA – “Elastic Heart” (direção: Daniel Askill e Sia)

11
ADELE – “Hello” (direção: Xavier Dolan)

10
RUN THE JEWELS com ZACK DE LA ROCHA – “Close Your Eyes (And Count To Fuck)” (direção: A.G. Rojas)

O Run The Jewels colocou um jovem e um tira lutando até a exaustão para explicitar o absurdo desses embates. Serve para nos lembrar que o assunto é bem mais complexo do que qualquer dicotomia poderia indicar.

09
TROYE SIVAN – “Trilogia Blue Neighbourhood”

Um conto muito atual de amores proibidos e de tragédias emocionais. “Wild”, “Fools” e “Xxxx” são clipes imperdíveis de um dos destaques entre os novos artistas de 2015.

08
GRIMES – “Flesh Without Blood/Life Vivid Dreams” (direção: Grimes)

Clipes surrealistas e de superproduções sempre conseguem muita atenção do público ao estabelecer novos patamares musicais e artísticos. Os clipes de Grimes são puro deleite visual.

07
RIHANNA – “Bitch Better Have My Money”

Rihanna fez um dos clipes mais divertidos do ano ao mostrar uma gangue de mulheres mercenárias que decidem se vingar com um cara que achou que poderia enganá-las.

06
FKA twigs – “Glass & Patron” (direção: FKA twigs)

FKA twigs é um dos nomes mais inventivos de sua geração. Seus clipes – assim como sua música – desafiam qualquer noção estética e apostam no risco para inovar.

05
EMICIDA – “Boa Esperança”

O artista que elevou o nível do rap nacional teve uma produção audiovisual impecável em 2015 e, dentre todos, “Boa Esperança” deixou todos boquiabertos.

04
DRAKE – “Hotline Bling”

Uma dancinha infame que viralizou e dominou o mundo da música em 2015. Foi impossível ficar imune.

03
M.I.A. – “Borders” (direção: M.I.A.)

M.I.A. decidiu olhar de frente para a crise migratória que acomete a Europa e fez um clipe alegórico para tratar do assunto.

02
DAVID BOWIE – “Blackstar”

Uma viagem surreal por universos do cantor que se mistura a um ritual religioso em volta de sua música.

01
KENDRICK LAMAR – “Alright” (direção: Colin Tilley)

Enquanto a violência policial irrompeu com violência no Brasil e nos EUA, Kendrick usou ironia em um curta que mais parece uma comédia de erros, onde policiais são expostos ao ridículo na guerra que empreendem contra a comunidade negra. É também um clipe-manifesto do rapper sobre assuntos que sempre foram caros ao hip hop, mas que nunca tinham sido problematizados de uma maneira tão profunda: riqueza, poder, sexo, laços de amizade, raça. O vídeo ainda funciona como uma homenagem à Compton, terra-natal de Kendrick.

Sem mais artigos