Jazz family
Por Paulo Floro

MEDESKI MARTIN AND WOOD
Let’s Go Everywhere
[Little Monster, 2008]

Passeando num estilo tido como hermético e distante, a trio de Nova York Medeski Martin and Wood consegue aproximar o jazz a ouvidos não-iniciados e roqueiros interessados em novas possibilidades sonoras e conceituais. O que esta banda, nascida no início dos anos 1990 faz não é pausterizar um gênero tão rico como o jazz e sim alargá-lo.

Let’s Go Everywhere tem muita experimentação, para delírio dos fãs da banda. A mais notável são as vozes de crianças em algumas faixas. E não apenas como samplers ou vocais de fundo, elas realmente cantam as letras, sob um fundo instrumental dançante e roqueiro. Escute “Pat A Cake” para comprovar o que digo.

John Medeski, Billy Martin and Chris Wood chamaram amigos e familiares para participar de Let’s Go Everywhere, por isso a idéia das crianças. A festa, bem ao estilo jazz-fusion chamou todo mundo, amigos, parentes. A irmã de Wood toca junto a Kate Hyman e Kevin Salem, fundadores do selo Little Monster, que lançou o disco. O ator John Lurie (Paris, Texas) empresta a voz a uma das faixas mais esquisitas “The Squalb”.

O trio, junto a uma leva de amigos, parentes e crianças entraram no estúdio e saíram quatro dias depois com grande parte das composições e músicas prontas, tudo na base da improvisação. O que mais do que uma técnica apurada das nuances do jazz e suas vertentes, mostra um incrível timing.

NOTA: 8,0

Sem mais artigos