Com uma voz incrível e um talento para boas interpretações, a cantora foi prejudicada pela superprodução e pouca ousadia

Maggie Rogers tenta ir além do hit viral no disco de estreia Heard It In A Past Life
NOTA60%

Maggie Rogers conseguiu um hit viral com “Alaska”, uma balada produzida em uma masterclass com Pharrell Williams, e que deixou o próprio sem palavras. A música tem o apelo da dualidade ao trazer beats sincopados mesclados com um refrão sussurrado. Desde então, Rogers conseguiu mais de 80 milhões de audições no Spotify, apresentações ao vivo e um EP homônimo.

Agora, em seu álbum de estreia, com a pressão lá em cima, ela chega com uma proposta de uma música pop bem sofisticada e meticulosamente bem produzida. Há diversos bons momentos, como a meio dubstep “On + Off” e “Fallingwater”, com seu jeitão gospel. Mas, em geral, “Alaska” consome todas as atenções do trabalho e meio que o esvazia.

Ainda que a união das letras e ótima interpretação da cantora se destaquem, Heard It In A Past Life traz um conjunto muito óbvio de canções que se alternam entre baladas radiofônicas e faixas prosaicas mais dançantes. Ainda assim, é um trabalho que aponta um potencial incrível dessa nova artista.

MAGGIE ROGERS
Heard It In A Past Life
[Debay Sounds/Capitol, 2019]
Sem mais artigos