MADONNA NO BRASIL? EU CONSEGUI!
Dor, sofrimento, lágrimas, 30h em busca de um ingresso e mais uma miríade de propostas para aquisição de uma entrada na área vip. Tudo isso por causa da Diva! Mas ela merece!!!
Por Maria Helena Monteiro, especial para O Grito!

Em 1993, eu tinha 13 anos. Me lembro bem, estava na casa de umas amiguinhas da rua e vi na televisão algo que ia me marcar definitivamente. Confesso: eu já gostava da Tia Madonna, mas não tinha o fascínio que aquelas imagens provocaram em mim. O Girlie Show inteirinho ainda está na minha mente (sem a ajuda do youtube, diga-se de passagem) e eu prometi a mim mesma que um dia ainda veria aquela senhoura rebolando ao vivo e a cores – qualquer semelhança com Scarlett O’Hara é mera coincidência.

Chegamos em 2008 e a chance estava bem ao alcance das minhas mãos. Turnê rodando o mundo, datas dos shows no Brasil confirmadas e cadastro de pré-venda organizado, o que mais podia dar errado? 23h55 do dia 2 de setembro e eu já estava plantada em frente do computador para comprar meu ingresso da turnê Sticky & Sweet. Mas, como diria Chico Buarque, qual o quê? Na minha primeira tentativa foram 30h online sem nenhum resultado. Nesse meio tempo, os únicos momentos em que não estava me aborrecendo com o Server Too Busy eram os que eu estava em trânsito para ida e volta do trabalho – sim, o que me proporciona dinheiro para fazer tal loucura.

Depois de dois dias de muita frustração, irritação e até desistência, eis que me encontro com a senha de confirmação de compra em mãos. Seria milagre de Santa Isildinha? Bom … deixem-me explicar. A compra online dos ingressos para os shows da Diva no Rio de Janeiro, dois dias antes, já tinha sido uma loucura, mas a etapa paulista se mostrou uma catástrofe de proporções gigantescas. Além das filas quilométricas nos pontos de venda físicos – que também cobravam a abusiva taxa de conveniência de 20%, excetuando-se a bilheteria do Credicard Hall – o site criado exclusivamente para venda de bilhetes simplesmente não funcionava, mesmo caso do call center.

Com todo esse sofrimento coletivo, algo interessante se configurou. Fãs de Madonna de todas as partes do país passaram a trabalhar em conjunto para que o máximo de pessoas conseguisse assistir a apresentação. Fóruns na internet se mostraram o melhor ponto de confluência de informações e de relatos de sucesso e frustração. E foi a partir de um fórum desses que eu consegui meu tão suado ingresso. Quem me passou a informação foi a arquiteta Amélia Moura, uma sortuda que conseguiu comprar não uma, mas 16 entradas para amigos tão desesperados quanto eu. Amélia também é a feliz detentora de duas entradas para a pista VIP, artigo mais raro do que o Paêbiru (aquele álbum de Lula Côrtes e Zé Ramalho que só têm cerca de 100 cópias em todo o mundo), e, creiam, ofereceram R$ 10 mil por uma delas.

Agora você deve estar se perguntando, porque danados ela não vendeu esses ingressos e ainda conseguiu tantos? Por que tem coisas que só a Tia do Pop consegue fazer com a pessoa.

“Eu entrei na comunidade do show no Orkut para tentar descobrir alguma forma de comprar os ingressos para o dia 20 também. Quando falei que tinha conseguido duas Vips, algumas pessoas começaram a oferecer R$ 3 mil, R$ 4mil. Logo em seguida chegou um alucinado que ofereceu R$ 10 mil depositados imediatamente na minha conta, por um deles. Catucou duas coisas que eu gosto muito: dinheiro e Madonna. Pensei por alguns segundos e resolvi não colaborar com essa coisa autodestrutiva. Que pegue o dinheiro e vá conhecer o Louvre, oras?”, contou ela, enquanto ajudava essa escriba a conseguir o seu próprio bilhete.

Ah, mas como foi mesmo que vocês conseguiram? (mentaliza agora o leitor já desesperado). Pois bem, havia um bug no site da Tickets For Fun. Quem entrasse pelo endereço normal, se deparava com uma mensagem informando da manutenção do sistema. Porém, se você tivesse o link direto do servidor, podia efetuar a sua compra sem transtornos. Depois que eu descobri o pó de Pirlimpimpim, demorei cinco minutos para concluir todo o processo, desde escolha do ingresso, transação bancária e recebimento do email com a senha de confirmação. Não contente, ainda fiz tudo de novo para uma amiga tão desesperada e insone quanto eu. Resumo da ópera: a passagem de Madonna pelo Brasil já está marcada por sofrimento, dores, lágrimas, sacrifício, solidariedade, companheirismo e humanidade – e eu estou lá.

Sem mais artigos