Richard Price (Foto: Damon Winter/ New York Times)

UMA VIDA IMPROVÁVEL
Presença confirmada na Feira Literária de Paraty, em julho, Richard Price lança o primeiro romance escrito no computador
Por Milena Times

LUSH LIFE
Richard Price
[Farrar Straus & Giro, 2008]

Um menino que nasceu e se criou em um conjunto habitacional de um dos bairros mais pobres e violentos do país ignora as estatísticas e vira um célebre escritor com livros traduzidos em várias línguas. Não são muitos os casos parecidos com esse, mas o bairro em questão é o Bronx (Nova Iorque), nos Estados Unidos. E o famoso escritor, ninguém menos que Richard Price, hoje com 58 anos, autor do romance best seller Clockers, (levado às telas do cinema por Spike Lee) e do roteiro de filmes como A Cor do Dinheiro e O Preço de um Resgate. Recentemente, Price vem causando novo rebuliço com seu mais novo livro, Lush Life, com previsão de chegada ao Brasil no próximo ano. Para os fãs brasileiros do escritor, a organização da próxima Feira Literária de Paraty, que acontece entre 2 e 6 de julho, já confirmou a presença dele.

Assim como nos livros anteriores, Price procura lançar um olhar sobre a camada da sociedade americana que não teve a sorte de fazer parte do american dream. Lush Life conta a história de Eric Cash, 35 anos, gerente de um café e escritor frustrado que mora em Lower East Side, Nova Iorque. Eric é o suspeito de um crime que aparentemente não cometeu. Investigando o caso, há dois experientes policiais de temperamentos bem diferentes. Caminhando por uma cidade que parece esconder-se dentro da outra, o livro traz à tona a existência de duas Américas inteiramente distintas e conflitantes. Apresenta uma NI sem glamour, como um lugar repleto de cobiça e injustiça social. Como qualquer outra metrópole.

Tido como um grande escritor de diálogos, Price costuma dizer que não se esforça em escrevê-los: eles vêm naturalmente. Dennis Lehane, autor de Sobre Meninos e Lobos, chegou a dizer que, com Lush Life, Price se torna o escritor que melhor elaborou diálogos em toda a história da literatura norte-americana. De fato, tanto os romances quanto os roteiros escritos por ele são extremamente envolventes. Com A Cor do Dinheiro, chegou a ser indicado ao Oscar de Melhor Roteiro Adaptado e, em 1999, ganhou o prêmio de Literatura da Academia Americana de Artes e Letras. Seu oitavo livro, Lush Life promete mostrar uma escrita madura e mais afiada do que nunca.

Nada muito surpreendente para um jovem que, aos 24 anos, lançou seu primeiro livro, The Wanderers, e logo foi aclamado pela crítica como um dos mais promissores escritores americanos. Cinco anos depois, o romance foi adaptado para o cinema por Philip Kaufman. Também não é de se ignorar que tenha conseguido estudar em três das mais tradicionais universidades dos EUA: Cornell, Stanford e Columbia, tornando-se, mais tarde, professor desta última, além de Yale e da Universidade de Nova York.

Mesmo que tenha passado a fazer parte de um estrato social que não era o seu de origem, Price nunca abandonou o cenário de sua juventude e toda sua obra é marcada por traços autobiográficos. The Wanderers, por exemplo, conta a saga de gangues de rua em um conjunto habitacional do Bronx nos anos 60. O protagonista de The Breaks é um jovem nascido no mesmo bairro, o primeiro de sua família a ser aceito em uma universidade, mas que fica na lista de espera e se vê obrigado a voltar para casa antes de conseguir iniciar os estudos, tal qual realmente aconteceu com Price. Em Samaritan, considerado seu livro mais autobiográfico, temos Ray Mitchell, um personagem que retorna ao conjunto habitacional onde cresceu depois de ficar rico escrevendo para Hollywood.

Contudo, Richard Price não se gaba de seu passado nem acredita que sua história de vida traga alguma vantagem para a sua carreira, a não ser o fato de que ninguém estava escrevendo sobre os subúrbios das grandes cidades quando ele estava. O homem que diz nunca ter digitado nada (Lush Life foi o primeiro livro que não escreveu a mão), revela que demora quase o mesmo tempo tentando descobrir sobre o quê quer escrever e efetivamente escrevendo. E não faz com prazer. Para ele, escrever é uma tarefa árdua e sofrida. Ainda assim, ele garante que a única coisa pior que escrever é não escrever.

Bibliografia do autor
Lush Life (2008)
Samaritan (2003)
Freedomland (1998)
Clockers (1992)
The Breaks (1983)
Ladies’ Man (1978)
Bloodbrothers (1976)
The Wanderers (1974)

Filmografia como roteirista
A Cor de um Crime (Freedomland, EUA, 2006)
Shaft – O Filme (Shaft, Alemanha/EUA, 2000),
O Preço de um Resgate (Ransom, EUA, 1996)
O Beijo da Morte (Kiss of Death, EUA, 1995)
Irmãos de Sangue (Clockers, EUA, 1995)
Uma Mulher para Dois (Mad Dog and Glory, EUA, 1993)
Sombras do Mal (Night and the City, EUA, 1992)
Contos de Nova York (New York Stories, 1989)
Bad (EUA, 1987)
Ruas de Ouro (Streets of Gold, EUA, 1986)
A Cor do Dinheiro (The Color of Money, EUA, 1986)

Roman Review de Lush Life

Sem mais artigos