LONG BLONDES
Someone To Drive Your Home
[Rough Trade, 2006]

Lançado este mês na Inglaterra e ainda inédito nos Estados Unidos, o Long Blondes revive o glam e o rock dançante ganha mais um reforço. O espírito punk com sua verve mais gay parece retornar com tudo. Talvez por isso vemos com tanta frequência as cores berrantes voltando à tona. Formado em Sheffield, tem as cabeças voltadas para a era glam do rock, como New York Dolls, Blondie, Slade, além de Buzzcocks e Ramones. O Long Blondes pegou o mundo desprevenido. Seu disco é pensado para divertir do início ao fim, leva esta retomada da new-wave ao seu patamar mais criativo e original até agora. A vocalista Kate Jackson abusa nas produções e tem pinta suficiente para trocar figurinhas com Karen O.. Ela é hit entre as meninas descoladas do Reino Unido, que imitam seu penteado, suas roupas. “Giddy Stratospheres”, o grande hit, mostra que não precisamos de uma nova Chrisie Hynde mas Kate é o que temos e estamos com sorte. Este é fácil um dos melhores discos do ano, e recorro a este clichê pelo fato de cada faixa de Someonde To Drive You Home ser única, agregar vários referências de uns 35 anos de rockenróu. Poderia citar todas as faixas do disco e contar os inúmeros detalhes que fazem deste disco uma grande obra. “Only Lovers Left Alive”, “Heaven Help The New Girl”, “You Could Have Both”. Escrever resenhas de obras em que o termo cool se esgota é muito difícil. [Paulo Floro]

NOTA:: 9,0

Sem mais artigos