Unindo elementos de soul e jazz, Lizzo é o retrato de um pop anticonformista

abraça o pop auto-confiante no divertido Cuz I Love You
NOTA8

Rapper e flautista, a norte-americana Lizzo chegou para mostrar que o pop atual já não cabe mais no conformismo das estrelas tradicionais, quase sempre hiperproduzidas e com tudo dentro do padrão. Trabalhando fortemente a positividade corporal, a artista de Minnesota tem carisma para conquistar grandes audiências.

Depois de fazer um burburinho na cena do neo-soul e do twerk, ela chega em Cuz I Love You com preparo e sofisticação para fincar os pés no mainstream. Seus singles anteriores, “Juice”, “Tempo” (com o ícone Missy Elliott) e a homônima “Cuz I Love You” já eram indicativos desse seu desejo em se apresentar para outros públicos.

Ainda que esteja afastada de seu início mais cru como visto em “Boys” e no disco Big GRRRLL Small World (2015), ela ainda se conecta com suas raízes, sobretudo quando busca influências do jazz e hip hop. Os olhares de Lizzo estão agora voltados para pop e isso fica bem claro nesse trabalho cheio de instiga, de refrões grudentos e muita diversão.

É um disco que abraça a auto-confiança com letras que refletem as superações vividas pela rapper até aqui e que servem para marcar uma posição, com se dissesse que diferentes corpos chegaram ao pop e não irão mais embora.

LIZZO
Cuz I Love You
[Nice Life/Atlantic, 2019]
Sem mais artigos