BEATLEMANIA
Ricardo Pugialli
[Ediouro, 320 págs., R$ 50]

A melhor banda de todos os tempos nunca se esgota em si mesma. A editora Ediouro acaba de lançar mais uma biografia sobre os quatro rapazes de Liverpool que conquistaram o mundo. Em caprichada edição pop (na mesma linha dos almanaques de tevê e seriados), o livro foi escrito pelo pesquisador Ricardo Pugialli, empresário musical e co-autor de Os anos da beatlemania, de 1992, em parceria com Marcelo Fróes. Neste novo trabalho, Pugialli faz um apanhado didático de toda a carreira de John, Paul, George e Ringo de I wanna hold your hand até a célebre frase de John Lennon, “the dream is over”, documentada fartamente com fotos e ilustrações inéditas. E também curiosidades ainda não publicadas no Brasil. Um presente não só para os beatlemaníacos, mas também aos neófitos. [RD]

MAO – SOBRE A PRÁTICA E A CONTRADIÇÃO
Slavoj Zizek (trad. José Maurício Gradel)
[Jorge Zahar, 236 págs., R$ 40]

O filósofo e sociólogo esloveno Slavoj Zizek, um dos principais pensadores da atualidade, volta à carga com suas idéias radicais neste novo livro sobre o perfil do líder comunista chinês Mao Tsé-tung. Intelectual de formação esquerdista, marxista histórico, o escritor esloveno usa como argumento o ideário da revolução chinesa para tecer ácidas e pouco condescendentes críticas à política e à cultura contemporânea capitalista. A obra reúne textos do imponente e controverso líder do Século 20, sobre os quais Zizek lança luz e faz contextualizações históricas, atestando a atualidade do conteúdo e evocando conceitos de Kant (horizonte ético) e Jacques Lacan. Foi lançado também do mesmo autor, como parte da coletânea sobre revolucionários históricos, o livro ensaio Robespierre – Virtude e Terror. [RD]

CHARLES DE GAULLE
Don Cook
[Planeta, 472 págs., R$ 55]

Uma das personalidades bélicas mais impiedosas, o general francês Charles de Gaulle tinha uma índole severa e arrogante, rígido até com seus próprios oficiais. A face feérica de um dos maiores combatentes do Século 20 é destrinchada pelo jornalista norte-americano Don Cook, falecido em 1995, nesta ótima biografia que só agora ganha tradução no Brasil. Com um estilo jornalístico incisivo, Cook mergulha na alma conturbada do homem contraditório e irredutível que fez a França sair vitoriosa dos escombros da Segunda Guerra Mundial. Esmiúça não apenas os estratagemas dos embates nas trincheiras, com detalhismo rigoroso, como também as nuances da sua carreira e postura política, temida por outros ditadores como Hitler e Stalin, além da vida pessoal controversa. Um livro de pesquisa histórica recomendada. [RD]

Sem mais artigos