POR TRÁS DOS VIDROS
Modesto Carone
[Companhia das Letras, 208 páginas, R$ 38]

Natural de Sorocada, Modesto Carone é daqueles escritores multifacetados e que encarnam a verve de ensaísta, tradutor, contista e romancista. Nesse novo título de contos ele cria ao leitor uma atmosfera de opressão com enredos que culminam em soluções calcadas no absurdo. Nas várias páginas vê-se indivíduos alienados no cotidiano acachapante de uma metropole e cuja mediocridade é acentuada pelas deformações físicas descritas no texto. Nesse novo livro, Carone continua exercendo sua veia crítica tão típica dos escritores que viveram seus bons anos (entre 20 e 40 anos) no período da ditadura militar. Como tradutor oficial de Kaflka no Brasil ele deixa transparecer uma forte influência em torno dos temas mais caros so escritor tcheco. [Da Redação]

O VISITANTE NOTURNO
B.Traven
[Conrad, 120 páginas, R$ 29]

Jorge Luis Borges foi o principal defensor de B.Tarven durante toda sua vida. De origem germânica, ele dedicou boa parte de seus escritos à literatura fantástica e nessa obra, com edição de luxo da Conrad, estão os dois maiores pontos altos de sua vida. A primeira novela e que dá título ao livro, O Visitante Noturno,se passa na selva mexicana e envolve mitologias indígenas; Macário é a segunda novela e nos fala a história de um lenhador miserável que realiza o sonho de comer um peru assado e faz um pacto com a morte para ter uma água milagrosa, que tudo cura. Revisitar Tavern nos dias atuais é estar a par dos melhores escrítos fantasmagóricos do século 20. Na penúria vivida por Macário e sua família há fortes elementos metalinguísticos e de contrução do fluxo necessário para compor uma obra ligada à esse tipo de gênero. A tradução é de Luciano Machado. [Da Redação]

CORREIO DO TEMPO
Mario Benedetti
[Alfaguara, 168 páginas, R$ 29,90]

Crônicas, cartas e poemas curtos e que abordam reencontros, nostalgia, amor, passagem do tempo, os sentimentos e as aflições humanas – como a história de um preso político que visita seu algoz anos depois de sua soltura. Tudo e mais um puco está contido nesse novo título de Mario Benedetti que é visto hoje como um dos nomes mais relevantes da atual literatura latino-americana. Este livro traz mostras explícitas de sua imaginação poderosa e de sua escrita irônica que procura condensar, na pequena extensão de seus textos, uma considerável variante de reflexões, dilemas e reviravoltas de ponto de vista. Benedetti é natural de Passo Fundo e é autor de títulos como A Borra Do Café, Acordes Cotidianos e Próximo Prójimo. [Da Redação]

Sem mais artigos