MARILYN E JFK
François Forestier
[Objetiva, 216 págs, R$ 33,90]

O romancista e renomado crítico de cinema, François Forestier faz o primeiro relato completo da história de amor entre o maior símbolo sexual de Hollywood e o ex-presidente americano. Marilyn e JFK lança luz sobre um dos casos mais comentados do showbiz, mas ainda pouco esmiuçado. A análise do livro é interessante por situar os dois personagens no topo do mundo, sobretudo Marilyn ela a mulher mais desejada, por homens, gays, pais de família, todos tem fantasias com ela. Prato cheio para curiosos, que poderão ter detalhes obscuros, como a noite em que a atriz pediu JFK em casamento e recebeu um quase inédito “não”. Também faz um panorama interessante da Guerra Fria, com J. Edgar Hoover chefiando o FBI. Lindos e carismáticos, os dois tentam manter em segredo um relacionamento amoroso de dez anos, mas não escapam aos microfones da Máfia, do FBI e da inimiga KGB. Vale a leitura por não suavizar nenhum momento da trajetória dos dois, sobretudo os escândalos e as hipóteses do assassinato de Monroe pela família Kennedy, que Forestier afirma ter sido overdose acidental. “Mas isso também não significa que Marilyn não teria sido assassinada logo depois. Seu cadáver foi violado, sua casa vasculhada e seus pertences pessoais roubados”.

FERREIRA GULLAR – POESIA COMPLETA, TEATRO E PROSA
Ferreira Gullar
[Nova Fronteira, 1264 págs, R$ 229,90]

Ferreira Gullar chegou ao novo século como um dos mais respeitados intelectuais brasileiros. E o melhor: soube digerir as peculiaridades do século 21, se mostrando sempre contemporâneo. Prolífico colaborador de diversas publicações, ele agora ganha uma compilação com toda sua obra. Uma edição caprichada à altura de sua importância. Reúnem-se aqui a poesia completa e parte da produção teatral e em prosa do autor, com texto estabelecido pelo acadêmico Antonio Carlos Secchin. Na seção de poesia, está o livro de estreia de Gullar, Um Pouco Acima do Chão, de 1949, jamais comercialmente reeditado, além de vários inéditos. Na seção de teatro, destaca-se a presença dos inéditos Romance Nordestino e o Homem Como Invenção de Si Mesmo. Um camalhaço para orgulhar qualquer estante.

Sem mais artigos