ALEIJADINHO E O AEROPLANO: O PARAISO BARROCO E A CONSTRUÇAO DO HEROI COLONIAL
Guiomar de Grammont
[Civilização Brasileira, 322 páginas, R$ 45]

A real existência do Aleijadinho como personagem histórico é questionada neste estudo da escritora ouro-pretana. Sim, Antônio Francisco Lisboa criou obras, entre as quais igrejas de Ouro Preto e profetas de Congonhas. Mas o arquiteto onipresente que a versão oficial da história consagrou, a autora acredita que não tenha sido. Toda a elaboração do barroco mineiro teria sido produto de uma série de “Aleijadinhos”, artistas anônimos espalhados no tempo e no espaço. [Da Redação]

CALE A BOCA, JORNALISTA
Fernando Jorge
[Novo Século, 448 páginas, R$ 39,90]

O tempo transformou o livro para além da biblioteca obrigatória de estudantes e jornalistas profissionais. É antes de tudo um dos mais importantes relatos contra a censura imposta aos meios de comunicação nas diversas ditaduras, que suspenderam os direitos de livre expressão. Na quinta edição, revista e aumentada com recursos iconográficos, a obra de Fernando Jorge é uma das chaves inclusive para entender a posição da imprensa brasileira na contemporaneidade. [Da Redação]

FILHOS DO CÉU – ENTRE VAZIO, LUZ E MATÉRIA
Michel Cassé e Edgar Morin
[Bertrand Brasil, 128 páginas, R$ 24]

O astrofísico Cassé e o filósofo Morin dialogam neste livro sobre as concepções humanas em torno da origem do universo, a compreensão (ou falta dela) dos movimentos do tempo e do espaço, as diversas leituras que unem (ou desunem) o humano e o divino, a astronomia e a astrologia. Com todas as evoluções na ciência ao longo das prospecções do homem, a filosofia pode concluir que o homem passou de filho do cosmos a órfão dele e a estrangeiro nele. [Da Redação]

Sem mais artigos