LIGA DA JUSTIÇA 50
Panini
[100 págs, R$ 6,90]

Desculpe-me, os fãs adictos, mas a falta de consistência da DC às vezes cansa. Poucas épocas não nos aporrinham com sagas em que o universo precisa ser destruído. No entanto, eu não consigo me desapegar do título da Liga. E digo, que para os que acompanham, coisas legais parecem vir por aí, como o novo título da LJA e 52, a maxi-série que será lançada por aqui em edições mensais. Por enquanto acompanhamos a monotonia dos títulos. LJA sem Geoff Johns, que passa a comandar Crise Infinita, perde um pouco de vigor. Lanterna Verde, coincidência ou não, ainda escrita por Johns, é a melhor história da revista, Flash, tem um roteiro bobo, quase ingênuo. Já SJA é uma história chata, truncada e distante da fase anterior. Crise Infinita atrapalhou uma melhor comemoração dos 50 números de LJA. E é realmente algo a comemorar, nunca um gibi da Liga da Justiça teve uma edição tão consistente em nossas bancas. Nisso a Panini merece aplausos. No entanto, fora o poster de Alex Ross, nada além de mais uma número na coleção. [Paulo Floro]

NOTA: 4,5

Sem mais artigos