Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

O escritor israelense trouxe um olhar lírico para a complicada história de Israel, cheia de matizes e envolta em um intricado conflito entre árabes e judeus desde sua criação. Em , o autor de 61 anos, nos coloca em contato com o garoto Aharon, de 12 anos, que descobre a puberdade ao mesmo tempo em que tenta se entender como cidadão em uma nação que também busca legitimidade.

Leia Mais
Leia um trecho do livro em pdf
O Senhor Agora Vai Mudar de Corpo, de Raimundo Carrero
Uma nova chance para Robert Walser

O livro foi escrito originalmente em 1991, mas só agora chega ao Brasil com tradução direto do hebraico feita por Paulo Geiger. Grossman acompanha o crescimento do jovem protagonista até os 15 anos, quando a partir das dores do crescimento ele descobre o real idioma de sua gramática interior, que dá título ao livro. Esse autoconhecimento não chega de maneira fácil e como outros jovens de sua geração, os ritos de passagem estão intimamente relacionados com o clima político de sua região.

Em uma das passagens mais interessantes do livro, Aharon tenta ignorar os barulhos dos canhões da Guerra dos Seis Dias, que acontecem em Jerusalém. Narrado em primeira pessoa, O Livro da Gramática Interior pode ser lido como uma obra sobre os desafios da adolescência, mas há uma complexidade escondida, o que rende diversas leituras. É também uma parábola sobre o impacto causado pelo Holocausto e, depois, pelas guerras travadas por Israel e Palestina. Pode ser lido ainda como o retrato humorado sobre a típica família judia israelense.

Aharon é um personagem carismático em toda a sua fragilidade, medos e dúvidas e Grossman o aproxima do leitor a todo momento, seja através de confissões íntimas ou artifícios narrativos como reflexões sobre seu corpo. É difícil não se identificar, seja você um adolescente de qualquer lugar do mundo. Há muito lirismo, com descrições quase poéticas de momentos importantes da Jerusalém dos anos 1960.

Grossman é conhecido por sua militância política da existência dos dois Estados como solução do conflito árabe-israelense. Ele é um das principais vozes contra a política do premiê Benjamin Netanyahu. Ao lado de Amós Oz, o autor é um dos nomes mais relevantes na busca de uma solução pacífica para a complicada situação geopolítica da região. O Livro da Gramática Interior foi o terceiro romance do escritor, que ficou conhecido por obras como Duelo, de 2010, e Garoto Zigue-Zague, de 2014.

livroO LIVRO DA GRAMÁTICA INTERIOR
De David Grossman
[Companhia das Letras, 538 págs, R4 59,90]
Tradução: Paulo Geiger

Sem mais artigos