Natural de Tel Aviv, a israelense Karin Feller, 21 anos, venceu a primeira edição do Projeto Ponto Zero. Aluna do quarto e último ano do curso Desenho de Moda da Faculdade Santa Marcelina, Karin apresentou coleção inspirada nos fractais, teoria dos caos e sorte na última noite da 24ª Casa de Criadores, no shopping Frei Caneca. Além de Karin, participaram do concurso Ivano de Paula Silva (Belas Artes), Talita Pinzan (Anhembi Morumbi) e Mariana Carbonell (Senac).

Com o resultado, a estudante de moda da Santa Marcelina passará a integrar o casting de novos talentos da Casa, como parte do Projeto LAB; e, de quebra, irá ganhar um desfile no Mercado Mundo Mix de Portugal, programado para maio de 2009. Assim como Karin, os demais concorrentes serão premiados com a participação no estande do Ponto Zero em mais uma edição do Mercado Mundo Mix de São Paulo — a estréia dos finalistas foi nos dias 6 e 7 de dezembro.

“Estamos muito felizes com o projeto, já que é a primeira vez que entidades da indústria e eventos com tradição no mercado se unem em uma iniciativa voltada para faculdades e cursos de moda, de onde saem nomes com imenso potencial técnico e criativo”, opina André Hidalgo, diretor geral da Casa de Criadores, que comemora a abertura do espaço para estudantes no evento.

Integraram o júri os estilistas Jum Nakao e Rita Wainer, os jornalistas Lula Rodrigues, Erika Palomino e Lilian Pacce e os empresários Alberto Hiar, Fábio Cunha e Cacá Ribeiro.

Mais sobre o Ponto Zero – Idealizado pela ABIT, pelo Sindicato da Indústria Têxtil do Estado de São Paulo (Sinditêxtil-SP) e pelos eventos Casa de Criadores e Mercado Mundo Mix, o Ponto Zero tem o apoio do Texbrasil, Programa Estratégico da Cadeia Têxtil Brasileira, criado pela ABIT em parceria com a APEX-Brasil, Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos. Lançado na 23ª edição da Casa de Criadores, em maio de 2008, o programa tem como foco a descoberta de novos profissionais de moda na categoria Estilista Empreendedor.

“A inserção de novos talentos é o que garante frescor na moda, possibilitando o lançamento de produtos inéditos. Contudo, é vital preparar esses profissionais para o desafio da gestão de suas marcas. É isso que faremos durante um mês, porque não basta ter vontade e criatividade sem conhecimento e informação sobre o negócio de moda e os mecanismos do mercado interno e externo”, diz Rafael Cervone, diretor do programa Texbrasil.

A continuidade do projeto fica por conta da organização do Mercado Mundo Mix Portugal, que já confirmou a participação do 1º colocado do Ponto Zero, junto com cinco estilistas da Casa, na edição européia do evento. A previsão é que, além de exporem seus trabalhos em um estande, os seis brasileiros também desfilem suas criações para os portugueses.

“Conhecido por catalisar o comportamento jovem urbano e as mais diversas tendências criativas, o Mercado Mundo Mix vai ao encontro do objetivo do Projeto Ponto Zero, promovendo a novíssima produção de criadores tanto no Brasil como no exterior. É com orgulho, portanto, que daremos aos finalistas do concurso o background de um evento que tem em sua história mais de 200 edições realizadas e uma audiência estimada de aproximadamente dois milhões de consumidores”, ressalta Beto Lago, idealizador do Mercado Mundo Mix.

Por edição do concurso, poderão participar apenas um aluno de cada uma das faculdades ou cursos de moda previamente selecionados. Cada entidade de ensino irá escolher, com curadoria dos organizadores do programa, seu representante entre alunos regulares do último ano ou que tenham, no máximo, dois anos de formação.

Sem mais artigos