O cantor e compositor lança seu primeiro single nas plataformas digitais: o xote . A música, junto a um clipe, é a antecipação da sequência de EP’s que darão forma ao álbum preparado pelo artista para o segundo semestre.

A sonoridade do single é uma fusão do moderno com a tradição. Como por exemplo, o encontro da sanfona de oito baixos com sintetizadores e uso de delays. Apesar da matriz melódica ser nordestina, a rítmica conversa mais com o reggae. Mulher de Ethos é um flerte entre estilos como o xote, reggae, jazz e a música moderna brasileira.

Juba foi criador e vocalista da banda carioca Açucena, que de 2013 a 2017 fez shows em locais como Circo Voador, Void, no carnaval de Olinda e na tradicional Casa da Gávea. Formado em cinema, dirigiu o filme curta-metragem Cavalo Concreto, que está no circuito de festivais pelo Brasil. Ganhando prêmio de melhor curta em Mato Grosso na crítica do júri e popular e eleito segundo lugar categoria videoarte no Festcine, no Recife.

Vivendo atualmente em Olinda, o pernambucano criado no Rio de Janeiro volta as origens para reconectar-se musicalmente a sua terra natal. Num momento em que as noções de ética (palavra derivada do grego ethos) parecem cada vez mais urgentes em nossa sociedade, o lançamento traz a ideia do Ethos na música, ou seja, que esta tem o poder de agir e modificar o estado de espírito da pessoa, influenciando no caráter humano.

Assim como o seu pai, o cantor Alceu Valença, Juba desenvolve personalidade musical própria aliada à força de uma identidade cultural inegociável – o que também podemos chamar de ética.

“Mulher de Ethos” tem produção musical de Júnior do Jarro, baterista da banda , Isaar e Anjo Gabriel. Que também é responsável pela execução do baixo, bateria e sanfona de oito baixos no Single. A faixa reúne integrantes da nova cena musical pernambucana, como Marcelo Cavalcante (violão), Diego Drão (teclados, sintetizadores e clavinete) e Márcio Oliveira (trompete).

O clipe conta com a presença da dançarina e cantora pernambucana Maria Flor, e do artista circense Diabolim. Já a capa do single é uma colaboração de dois artistas visuais: Fernanda Varella assina a ilustração e Rafael Todeschini o design.

Confira o clipe:

Sem mais artigos