Looks de Ying Gao

ying gao, estilista, é o criador da coleção walking city: vestidos que reagem eletronicamente a estímulos como ventos e proximidade.

não só as roupas são deslumbrantemente conceituais como também parecem ter vida própria – característica topíssima de arraso segundo meu código de estilo.

imagine-se conversando com uma mulher embrulhada no modelo proximidade. você chega um pouco mais perto dela e o vestido começa a gesticular sozinho, estabelecendo delicadamente uma nova distância confortável entre as partes.

ainda na linha don´t stand so close to me, há o bem menos amigável defensible dres. suas varetas móveis hostilizam. notamos a abissal diferença de sutilezas entre este e o desabrochar erótico do anterior.

já o vestido sensível a ventos é mais gutural. num momento parece que o coração quer sair do peito e no outro ele mingua de volta, como se nada tivesse acontecido. como comigo.

em 2007, o também estilista hussein chalayan levou às passarelas modelos luminescentes e que strip teasam sozinhos. note a praticidade: um sujeito pede um strip e nós, batalhões de garotas não dotadas de talento para desprender a liga da meia de rendinha ridícula, apertamos um botão mínimo e o vestido se despe sem que precisemos nos mexer.

talvez seja bom demais para ser verdade. talvez apenas geeks, amantes de chalayan e o robocop consigam uma ereção.

(não se o sex chip for largamente implantado no cérebro das pessoas.)
——
[+] Joana Coccarelli é jornalista, autora do blog Narghee-La e idealizadora do Coccarelli.art, coletivo de artistas, blogueiros e escritores. Escreve nesta coluna sobre estética, design e moda.

Sem mais artigos