este jpg (imagem acima) amealhado na rede gerou loops nas tripinhas do meu cérebro.

“tecnologia é o que nos faz humanos”. fato. nos diferenciamos de outras criaturas pela capacidade de transformar o ambiente em função de nossas próprias necessidades. pela criação de técnicas e utensílios em nome da sobrevivência. básico.

mais: o que nos faz ainda mais humanos é a capacidade de transformar o ambiente também em função de nossos próprios desejos. e isso joga lenha na sempre chamuscante fogueira do pós humano. se hoje, por um lado, desejamos longevidade e juventude, por outro a ciência, a medicina e a indústria cosmética nos permite modificar nossos próprios corpos.
phobos, deimos. a intuição geral é a de que, se eu resolvo instalar um gadget na minha medula óssea, um plug no meu ouvido, estou me tornando menos gente. talvez não. se tecnologia é o que nos faz humanos, por mais que tenha dado um passo na direção de me parecer com um robô, eu não estaria me distanciando do que me faz gente. pelo contrário: estaria afirmando minha condição de gente. a diferença é que, na prática, eu não seria mais uma humana clássica e sim uma pós-humana; conceitualmente, contudo, eu seria ainda mais humana.

essa racionália me desloca para uma festa há anos atrás, quando eu via no transhumano o final dos tempos. meu interlocutor, estudante de medicina, questionava: “mas será que a ação do futuro sobre as coisas não implica que tudo simplesmente se transforme? será que para o homem, tão intimamente ligado à criação de técnicas desde o começo, um futuro pós-humano não seja parte original de sua natureza?”

wise. fiquei um bom tempo perturbada com o argumento.

talvez um dia um corpo humano clássico não dê mais conta de um ambiente tão tecnologicamente saturado ou tão poluído. então não será mais questão de transformar o ambiente em função de nossos desejos, mas transformar nossos corpos em função de nossas necessidades.

pelo menos há opções disponíveis. ainda que por enquanto, e em grande parte na teoria.

——
[+] Joana Coccarelli é jornalista, autora do blog Narghee-La e idealizadora do Coccarelli.art, coletivo de artistas, blogueiros e escritores. Escreve nesta coluna sobre estética, design e moda.

Sem mais artigos