Jeder Janotti Junior recebeu influências da literatura beat e música pop na sua estreia na ficção. Levedação (Titivillus Editora, 2018) traz ainda ilustrações de Tiago Acioli.

O romance narra a história de Paulo, estudante recifense de doutorado que põe a mochila nas costas e vai parar na cidade de Montreal, no Canadá, em função de um intercâmbio acadêmico. Habitando um país estranho, sem amigos ou intimidade com o idioma local, Paulo se vê diante de um estranhamento profundo que o insere numa jornada interior, por noites em claro, regada a cerveja, música, elucubrações e relações efêmeras.

O livro será lançado nesta quinta (26), às 20h, no Ramón Bar y Parrilla (av. Dezessete de Agosto, 1778, Casa Forte).

Influenciado pela escrita despudorada de Charles Bukowski, de quem sempre foi leitor voraz, Janotti revisita em seu texto angústias da Geração Beat e também questões existenciais da literatura marginal presentes nas obras de autores como Mário Bortolotto e Jack Kerouac. Ao longo do romance, o trânsito por outras referências pop de Janotti é constante, revelando-se, por exemplo, na construção do protagonista, um fã do metal cujas ruminações pelas gélidas ruas canadenses acontecem frequentemente ao som de Iron Maiden, Black Sabbath e Sepultura.

Assim como em Bukowski, os elementos biográficos do escritor se confundem a todo tempo com sua própria ficção. O trabalho também ressalta o tipo de proposta artesanal que a editora pernambucana Titivillus, recém-chegada ao mercado editorial, tem apostado em seus últimos lançamentos.

Jeder Janotti Junior nasceu em Vitória (ES), em 1969, mora no Recife desde 2012, é professor universitário, baterista bissexto, louco por rock`n`roll e viciado em leitura. Possui diversos artigos e livros acadêmicos, entre eles Aumenta que isso aí é rock and roll (E-papers, 2003), Heavy metal com dendê (E-papers, 2004) e Comunicação e música popular massiva (Edufba, 2006). Levedação tem 119 páginas e custa R$ 50.

Sem mais artigos