Revista O Grito!

Jazz Metal — Por Paulo Floro

Categoria: Recife (Página 1 de 4)

Nova chance para a Praça do Sebo no Recife

sebo2

A Praça do Sebo, no Centro do Recife, é um dos lugares mais legais do Recife, mas viveu em um estado de descaso, como muitos locais naquela região. Agora, a Prefeitura do Recife terminou uma reforma que ajeitou o piso de pedra portuguesa, o gradil, a mureta e o banheiro público.

Ainda há muito o que resolver, sobretudo no que diz respeito à limpeza do entorno, mas já restaurou a vida da praça, que possui diversas barracas que troca e vende livros usados. Na próxima sexta (30) começa o projeto #MovimentoPraçaDoSebo, criada por Ana Carolina Sobral, estudante de biblioteconomia da UFPE, que fez um trabalho de conclusão sobre sebos.

O evento vai trazer recitais, declamações e leituras. Tem detalhes na Fanpage.

Fundada em 1981, a Praça do Sebo foi referência no Recife nos anos 1980 quando reunia colecionadores, escritores e artistas. Depois passou por um processo de sucateamento e abandono, como muitos locais no Centro do Recife no final dos anos 1990 e início dos anos 2000. Fica em uma área que reúne diversos outros sebos, que foram se adaptando para continuar existindo.

sebo3

Na Av. Dantas Barreto, perto da Praça do Sebo, o antigo “Sebo do INSS” se adaptou para vender apenas livros didáticos e de concursos. Uma pequena parte sobrevive com DVDs pornôs. Ainda na mesma avenida, o “Sebo do Banco Safra” praticamente vende jogos e consoles de videogame. Antigo oásis para fãs de quadrinhos, hoje apenas uma única barraca vende HQs, do vendedor conhecido como Galego.

Na minha adolescência como colecionador de quadrinhos, lembro que frequentava a barraca dele toda semana em busca de novidades. Foi lá que completei várias minisséries como Marvels e adquiri formatinhos da Abril (X-Men, Wolverine, o universo 2099). Isso lá pelos idos de 2000 e poucos. Além de Galego, muitos outros vendedores também vendiam HQs, inclusive alguns títulos importados e fanzines. Hoje Galego resiste, mas a clientela diminuiu bastante, me disse outro dia.

O Centro da cidade ainda perdeu outros sebos, que não sobreviveram às mudanças no Centro. Que iniciativas como a do #MovimentoPraçaDoSebo inspire outros locais.

sebo

Street View revelando as belezas do Recif…OH WAIT

Vi no NE10 que o serviço Street View do Google já está funcionando. Pelo Facebook, já começaram a aparecer as primeiras pérolas, como a foto acima. Tem também um Tumblr, mas nenhuma foi tão impagável como esse baculejo no bairro de Setúbal.

Rec: Tirando onda com o PT_BR

20120807-021004.jpg

Adoro esse chaveiro próximo à Universidade Católica que tira onda pesada com o português. Ele encontrou, desta forma, uma maneira criativa de chamar atenção no meio de tantos fiteiros. Fica na Boa Vista, no fim da João Fernandes Vieira.

20120807-021020.jpg

Recife: Um monte de perguntas

É meio triste ver praças sendo mutiladas em benefício dos automóveis, ver casarões históricos e igrejas barrocas sendo derrubados. Nada contra o moderno. Mas por que não se fazem obras modernas sem destruir as antigas? Por que numa cidade tropical não se abre espaços para o verde, para a circulação do vento, para deixar a qualidade de vida das pessoas melhor? Por que tantos edifícios monumentais e uma rede de esgoto que não dá conta de tanta merda? Por que tantas ruas que não suportam mais tantos carros? Por que tantos mendigos morando nas praças e avenidas? Por que tantos bandidos matando e roubando nas ruas da cidade? Se você tiver resposta para tudo isto então eu vou dizer que a frase citada por você ” Recife está sendo mutilada” é apenas uma pérola dos ativistas pró-passado.

De Alexandre Figueirôa, respondendo a um comentário sobre uma reclamação dos chamados “ativistas pró-passado”.

Como foi o #OcupeEstelita no domingo (FOTOS)

Aconteceu neste domingo (15), com sol forte e cerca de 400 pessoas (não sei fazer cálculo de gente como a polícia, mas muitos mais podem ter ido), o #OcupeEstelita. O movimento foi organizado através das redes sociais, com destaque para atuação do grupo Direitos Urbanos, no Facebook. A ideia foi protestar contra a construção do projeto Novo Recife, que planeja construir 13 torres residenciais e empresariais na região do Cais José Estelita, com importante valor histórico, mas hoje abandonado.

Como o post no blog do Direitos deixa claro, a manifestação de hoje não foi apenas contra as novas torres, e sim contra todo o atual projeto de urbanismo e mobilidade da cidade, como os viadutos da Agamenon Magalhães. Ou seja, envolve meio-ambiente, cidadania, respeito à memória afetiva da cidade, mobilidade, urbanismo. Saiba mais sobre os projetos e as mobilizações, aqui. E para formar sua opinião conscientemente, leia também o outro lado, através de um comunicado oficial das construtoras, nesta matéria.

Abaixo, as fotos de hoje. O que vi por lá: Muitas crianças, cachorros, piscina de plástico, show de Catarina Dee Jah, circo, LaUrsa, maracatu, gente jovem, idosa, barco pirata, abaixo-assinado. O trânsito não foi fechado em nenhuma das vias momento algum. Alguns carros foram parados para que meninas de biquini mostrassem cartazes chamando atenção para a manifestação. Essa foi uma das partes mais divertidas do Ocupe. “A revolução é irresistível”.

Página 1 de 4

Jazz Metal é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2017