Revista O Grito!

Jazz Metal — Por Paulo Floro

Categoria: Comics (Página 2 de 2)

Morte – Edição Definitiva e outros tesouros para fãs de Sandman este mês

MORTE-EDICAO-DEFINITIVA

é uma das HQs mais importantes dos quadrinhos, é sabido. Mas poucas obras derivadas de um clássico tiveram tantos fãs quanto , a irmã mais velha do protagonista Sonho/Lorde Morpheus. Jovem, pálida, gótica e carismática como uma estrela de rock, ela protagonizou duas minisséries e algumas HQs esparsas Agora, a Panini reúne todas em um volume de luxo neste mês.

Morte – Edição Definitiva reúne pela primeira vez no Brasil todas as histórias estreladas pela personagem, incluindo “O Som de Suas Asas” (a primeira aparição, na série regular de Sandman) e “Fachada”; as minisséries O Alto Preço da Vida e O Grande Momento da Vida; e as histórias “Um Conto de Inverno” ( Winter’s Edge 2), “A Roda”, “Morte e Veneza” (Noites Sem Fim) e A Morte Fala da Vida, uma HQ educativa sobre sexo seguro.

Além de roteiros de , a edição tem artes de Chris Bachalo, Mark Buckingham, Mike Dringenberg, P. Craig Russell, Dave McKean e muitos outros. Como extras, a edição traz o roteiro de Sandman 8; uma galeria de pin-ups e diversas informações sobre colecionáveis da Morte. O livro tem capa dura, 360 páginas e um preço também no nível luxo: R$ 92.

Yoshitaka Amano

Falando em Sandman, a Panini prepara uma enxurrada de lançamentos com o personagem para os próximos meses. Neste mês chega ainda Sandman Apresenta: Os Caçadores de Sonhos, com a versão feita pelo artista japonês Yoshitaka Amano. Gaiman adaptou uma lenda famosa do Japão.

Na história, uma raposa se apaixona por um humilde monge e é a única criatura que pode ajudá-lo quando descobre que um bando de demônios pretende tomar a vida de seu amado. Com a ajuda de Morfeus, a raposa terá de usar de toda a sua astúcia e criatividade para manter o mal longe do homem que ama. Gaiman escreveu a história em formato de prosa a pedido do artista, que a ilustrou.

A Panini já tinha lançado uma adaptação da obra em quadrinhos e agora lança a edição original. A editora ainda coloca nas livrarias este mês as reimpressões dos Vol. 1 e 2 de Sandman: Edição Definitiva, que traz a história recolorida e em tamanho maior.

SANDMAN-OS-CACADORES-DE-SONHOS

Marvel pede desculpas por capa polêmica da HQ da Mulher-Aranha

Manara_SpiderWoman-comiX

A Marvel pediu desculpas publicamente pela capa polêmica da Mulher-Aranha desenhada pelo italiano . A pose erótica irritou feministas e diversos leitores que levantaram questões sobre a objetificação da mulher nas HQs.

“Queremos que todo mundo – a maior parcela possível de leitores – se sinta confortável para ler Spider-Woman. Nós pedimos descupas – eu peço desculpas – pelas mensagens confusas que esta capa transmitiu”, disse o editor-chefe, Axel Alonso, em comunicado ao Comic Book Resources.

Alonso disse ainda que a capa não reflete o tom da história e foi feita apenas para colecionadores, com uma tiragem limitada. O próprio Manara tentou se explicar mostrando o desenho por um outro ângulo. Não ajudou. Usuários no Reddit também renderizaram a pose em 3D para mostrar que ela é humanamente impossível.

Spiderwoman_3022869b

Spiderwomancrop_3022870c

A capa de Spider-Woman #1, série inédita no Brasil, teve uma capa alternativa desenhada por Manara, que é conhecido por quadrinhos eróticos aclamados pela crítica, como O Clic e O Perfume do Invisível. Mesmo com todas essas referências, a Marvel não foi perdoada e recebeu diversas acusações de sexismo. Os defensores dizem que a editora está indo na direção correta do mundo atual ao dar mais títulos para personagens femininas. Além da , Tempestade e Capitã Marvel também receberam suas próprias revistas.

Compete contra a editora o histórico ruim da Marvel em relação à representação feminina, marcada pela exploração do corpo como maior mote para as vendas. Isso vem mudando bastante, mas o número de autoras nos quadrinhos norte-americano ainda é bem pequeno (cerca de 30%, segundo Alonso). “A Marvel está longe de ser perfeita, mas estamos mudando.”

Spider Woman #1 tem roteiro de Dennis Hopeless e desenhos de Greg Land e chega aos EUA em novembro.

SPIDERWOMAN001Manara-06299-600x853

Caixa de 75 anos da Marvel Comics é o maior artigo de luxo das HQs este ano

caixa-marvel-5

A Marvel divulgou detalhes da caixa comemorativa dos 75 anos da editora. Olhem o nível do luxo: 10 volumes em capa dura, um livro-pôster ilustrado por Alex Ross e assinado por Stan Lee e um layout que faz referência à mansão dos Vingadores.

A caixa Marvel Famous Firsts: 75th Anniversary Masterworks chega às comic-shops norte-americanas nesta semana e pode ser importada pela Amazon e outros e-commerces, além de grandes livrarias aqui no Brasil. O preço, segura aí: 500 dólares (cerca de R$ 1.200).

caixa-marvel-1

caixa-marvel-4

caixa-marvel-2

A capa de Milo Manara para a Mulher-Aranha reacende polêmica sobre exploração feminina

SPIDERWOMAN001Manara-06299-600x853

O desenhista italiano Milo Manara está causando polêmica mais uma vez. Tudo por causa de uma capa variante da HQ da . Em uma pose estranha e exageradamente sensualizada, o que levantou novamente o debate da objetificação feminina nos quadrinhos.

Manara é conhecido por esse estilo hiper-sexualizado. Ele possui obras clássicas do quadrinho erótico, como O Clic e O Perfume Invisível, em geral com um traço delicado e uma narrativa envolvente, bem amarrada. No entanto, suas participações no mercado de quadrinhos dos EUA, em geral, são desastrosas.

X-Men – Garotas em Fuga, lançado por aqui pela Panini e escrita por Chris Claremont, é tido como um dos piores trabalhos de Manara. Agora, com essa capa de Mulher-Aranha, ele ganha mais uma obra “menor” no currículo. Além de Manara, a nova revista da personagem ainda tem capa variante de Skootie Young e Siya Oyum.

Sobre esse tema indico duas colunas de Dandara Palankof na Revista O Grito!: “Super-herói é coisa de menina” e “Leitores machistas, parem de ler HQs“.

Spider-Woman terá de roteiro de Dennis Hopeless e arte de Greg Land, que também assina capas. O primeiro número chega em novembro. [Via UniversoMarvel616]

Marvel divulga detalhes da coletânea de 75 anos

Marvel_75th_Anniversary_Omnibus_Cover-693x1024

A Marvel divulgou detalhes do encadernado que comemora os 75 anos da editora. Como falamos aqui, o livro Marvel 75th Anniversary Omnibus teve histórias escolhidas através de uma votação com os fãs.

As histórias escolhidas foram estas: Fantastic Four (1961) # 1, # 48 a # 50 e # 285; Hulk (1962) # 1; Avengers (1963) # 1 e # 57; Amazing Spider-Man (1963) # 31 a # 33, # 50, # 121 e # 122; Incredible Hulk (1968) # 181; Giant-Size X-Men # 1; X-Men (1963) # 141; Uncanny X-Men (1981) # 142; Daredevil (1964) # 181; Marvel Graphic Novel # 1 e # 5; Thor (1966) # 337; Marvels # 1; X-Men Alpha; Thunderbolts (1997) #1; Amazing Spider-Man (1999) # 36; The Ultimates (2002) # 1; Captain America (2005) # 25; Hawkeye (2012) # 11 e HQs da revista Captain America Comics (1941) # 1, Amazing Fantasy (1962) # 15, and Amazing Spider-Man (1963) # 248 e # 700.

A capa é de Paolo Rivera. Entre os autores que estão na compilação estão Stan Lee, Jack Kirby, Alex Ross, John Romita Jr., Mark Waid, Frank Miller, Chris Claremont, Steve Dikto, Ed Brubaker e Dave Cockrum. Roger Cruz é o representante brasileiro na obra.

Marvel 75th Anniversary Omnibus custa 100 dólares e não tem previsão de sair no Brasil.

Marvel tenta popularizar Justiceiro com novo encadernado

capa-Justiceiro-4

, o mais violento dos personagens da Marvel, já foi mais popular no Brasil – sobretudo na fase Superaventuras Marvel e mais recentemente na passagem de Garth Ennis pelo título. Agora, a Panini tem uma estratégia interessante para alavancar o anti-herói com essas edições capa dura a preços baixos. É algo parecido com o que a editora vem fazendo com Demolidor.

Justiceiro 4 tem 156 páginas, capa cartão, miolo LWC e custa R$ 21,90. O mais novo volume estrelado pelo herói mais cafuçu da Marvel reúne duas minisséries lançadas nos Estados Unidos originalmente sob os títulos Punisher War Zone 1-5 e The Trial of the Punisher 1-2.

Na primeira, escrita por Greg Rucka (Superman, Gotham City Contra o Crime) e desenhada por Carmine Di Giandomenico (Homem-Aranha Noir) o Homem-Aranha descobre que Castle usou seus lançadores de teia para realizar uma ação que resultou na de dezenas de pessoas, o que coloca o herói aracnídeo diretamente em seu encalço.

Completando o encadernado, a história “O Julgamento do Justiceiro” leva Castle para dentro de um tribunal após ele confessar ter assassinado um promotor de justiça. A trama é de Marc Guggenheim (Homem de Ferro, Homem-Aranha) e ilustrações fenomenais de Leinil Francis Yu (Os Novos Vingadores, Superior) e Mico Suayan (Thor). Justiceiro 4 tem previsão de chegada às bancas ainda este mês.

HQ de Assassin’s Creed, feita por vencedores do Eisner, merece uma chance

assassins

é mais uma HQ do poderoso filão das adaptações de games para os quadrinhos. A revista é um lançamento da editora Alto Astral, tem 96 páginas e custa R$ 22,90.

Na trama o assassino Nikolai Orelov foge da Rússia para começar uma nova vida, deixando a irmandade para trás. Mas abandonar o passado não é algo tão fácil assim. Antigos conhecidos reaparecerão para se certificar se ele continua leal ou não. Por outro lado, aliados se tornaram amigos, à medida em que Orelov foi obrigado a lutar pela liberdade e transferir o seu legado assassino para o próprio filho.

Assassin’s Creed é um dos jogos mais famosos dos últimos anos e vem recebendo elogios na sua transposição para os quadrinhos. Este A Corrente foi feito por um time vencedor do Prêmio Eisner: Cameron Stewart (Batman & Robin, Mulher Gato) e Karl Kerschl (Flash, Superman). Vale a pena dar uma chance.

Página 2 de 2

Jazz Metal é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2020