Revista O Grito!

Jazz Metal — Por Paulo Floro

Tag: Jacques Tardi

Quadrinistas franceses ameaçam fazer greve por melhores condições de trabalho

RAAP_Maester_001
Charge de Maëster: “É para o seu próprio bem…”.

Ótima matéria do UniversoHQ falando sobre a ameaça de greve dos autores de quadrinhos na . Os quadrinistas de lá reclamam das condições de trabalho, baixos salários e da nova obrigação de pagarem 8% de suas rendas para financiar sua pensão complementar obrigatória, a RAAP – Régime de retraite complémentaire des artistes et auteurs professionnels (Pensão suplementar de artistas e autores profissionais). A ministra da cultura da França, Aurélie Filippetti, recebeu uma carta aberta, assinada por 748 autores, com reclamações sobre a atual situação da classe.

Destaco três pontos:

– Qualquer reforma precisaria considerar o fato de que metade dos autores de quadrinhos não recebem nem mesmo o salário mínimo – na França ele é de 1.445,38 euros por mês, ou 9,53 euros por hora de trabalho. Na Bélgica, os valores variam dependendo da idade do trabalhador e do seu tempo de serviço, mas estão situados na faixa de 1.500,82 euros a 1.559,38 euros por mês.

– Num país onde o desemprego está crescendo, os autores de quadrinhos não apenas criam seus próprios empregos, mas são responsáveis por centenas de outros.

– Em termos econômicos, a indústria do entretenimento é a quarta mais rentável da França. Sem mencionar a vitrine que representa para o público estrangeiro. O mercado livreiro – como um todo – emprega aproximadamente 80 mil pessoas e gera uma receita de 5,6 bilhões de euros (na França). Nós, os autores, somos a origem dessa riqueza.

É incrível o tamanho do mercado de quadrinhos na França a ponto de um protesto como esse chamar atenção. Lembrando que por lá, as HQs (ou bande dessinées, como chamam) são populares em diferentes públicos, como deveriam ser todas as artes.

Entre os artistas que assinaram a carta estão nomes importantes dos quadrinhos atuais, como , , , e .

Fantagraphics inicia financiamento coletivo para HQs de 2014

fanta2

Já postei tanto sobre a aqui neste blog que nem preciso mais dizer que a editora americana é uma das melhores do mundo no lançamento de quadrinhos. Agora, ela é mais uma que adere ao financiamento coletivo.

A editora abriu uma campanha no Kickstarter para financiar grande parte dos seus lançamentos em 2014. A meta a ser alcançada é de US$ 150 mil. Já nos primeiros dias, o retorno foi excelente. E agora, com 23 dias faltando para terminar as contribuições, já foram levantados 145 mil.

A editora planeja 39 lançamentos, com nomes como , , , , , , , , , Tony Millionaire, e Gilbert e Jaime Hernandez. Nada mal. As edições, em sua maioria, contam com ótimo acabamento e capa dura, com diversos extras.

Assim como muitas outras editoras, a Fantagraphics também foi afetada pela crise financeira. Além disso, o fundador da casa, , morreu em decorrência de um câncer de pulmão, o que tornou 2013 ainda mais complicado para os editores.

É possível contribuir com valores a partir de 1 dólar. Para receber todos os lançamentos em casa, é preciso doar US$ 1.250. Há também valores que dão direito a conhecer a rotina da produção de HQs na sede da Fantagraphics.

fantagraphics

fanta3

Cofre: Tardi de volta às trincheiras da 1ª Guerra em Goddamn This War

8748879188_c60f602914_z

O quadrinista francês tem uma obra-prima sobre a 1ª Guerra Mundial (em todas as artes), Era A Guerra das Trincheiras (que saiu aqui pela Nemo). Agora, 15 anos depois , a continuação de seu famoso livro ganha edição pela Fantagraphics.

Goddamn This War pode ser lida como uma obra separada e traz lembranças de um soldado sem nome sobre as trincheiras. Traz a mesma exatidão histórica típica de Tardi e a narrativa que evidencia a falta de escrúpulo e violência daquele período. O mais legal é a técnica de pintura com aquarela e nanquim que o autor usou nesta HQ.

A HQ importada tem 140 páginas, capa dura e custa 25 dólares.

Cofre: O amor de Jacques Tardi por Nova York

é um dos mais celebrados autores franceses dos quadrinhos. Autor de Era A Guerra das Trincheiras, publicado por aqui pela editora Nemo, ele tem um novo livro lançado nos EUA, em edição de luxo. Trata-se da obra que retrata a relação do quadrinista com a cidade de Nova York.

Lançado pela este mês, traz a primeira HQ de Tardi a abordar a Big Apple, “Manhattan”, publicada na revista RAW, há 30 anos. Neste livro, foram incluídos mais três histórias, “Cockroach Killer”, escritor por Benjamin Legrand, com a técnica característica do autor do preto-e-vermelho, “It’s So Hard”, inédita em inglês e “The Killing Of Hung”. Estas duas últimas foram escritas por Dominique Grange.

A HQ é indispensável para quem gosta do trabalho de Tardi, que sabe explorar thrillers cheios de tensão, mas também histórias mais subjetivas, um tanto depressivas, como é o caso de “Manhattan”, base deste volume. A HQ está à venda em sites de venda online e em comic-shops gringas por 20 dólares (capa dura, 84 páginas).

Jazz Metal é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2019