Revista O Grito!

Jazz Metal — Por Paulo Floro

Tag: Art Spiegelman

Occupy Comics terá HQs-protesto de Alan Moore, Art Spiegelman e Amanda Palmer

occupy

A primeira antologia Occupy Comics foi anunciada e traz HQs de nomes como , , , Ben Templesmith e J. M. DeMatteis. As obras contam histórias de apoio aos protestos que aconteceram em diversas partes do mundo desde 2011.

A lista de artistas inclui ainda Charlie Adlard (The Walking Dead), Susie Cagle (cartunista que foi presa no Occupy Oakland), Ben Templesmith, Dan Goldman (Shooting War), Molly Crabapple, , (Transmetropolitan), Laurie Penny, Zoetica Ebb, Patrick Meany e Douglas Rushkoff. Cada edição tem 48 páginas e sai pela Midtown Comics. Uma versão preview em PDF pode ser vista aqui.

Occupy-550x350

Segundo a editora, um versão em capa dura, reunindo todos os números, deve chegar no segundo semestre. Os movimentos Occupy foram uma crítica à resposta dos governos à crise econômica mundial, além de injustiças sociais causadas pelas políticas para salvar empresas e medidas de austeridade (é uma definição incompleta, mas podemos dizer que se trata de um protesto que se viralizou pelo mundo inteiro).

A antologia foi feita graças a um financiamento coletivo via Kickstarter.

Que vergonha! Roubaram o computador de Art Spiegelman em sua palestra no Brasil

O quadrinhista norte-americano teve seu computador roubado do palco do teatro Tuca, na PUC-SP, onde acontecia o 4º Congresso Cult Internacional de Jornalismo Cultural. Segundo a Folha, um homem não-identificado de camisa azul subiu ao palco e levou o notebook (a organização usava camisetas pretas e não azuis). “Vou levar um ano para recuperar tudo. Nunca imaginei que isso pudesse acontecer”, contou.

A palestra aconteceu mesmo assim. No MacBook estavam vídeos, fotos e textos que Spiegelman usaria na sua fala. “Vocês pagaram muito para me ver. O que significa que foram roubados também”. Ao final, parecia irritado, segundo a reportagem da Folha: “Se soubesse que isso iria acontecer não teria vindo”.

Ele falou sobre sobre sua carreira nos quadrinhos, sobretudo a HQ , a mais famosa e vencedora do Pulitzer. A obra conta a trajetória de seu pai em um campo de concentração nazista.

Segundo a organização do evento, um boletim de ocorrência foi feito. Caso alguém saiba algo sobre o paradeiro do computador do autor, mandem um email para a editora dele aqui no Brasil: editorial@companhiadasletras.com.br

A foto é de Flávio Braga, da Folhapress.

Dissecando Maus

Logo depois de decidir fazer minha pesquisa acadêmica sobre , de , a Raquel Cozer entrevista o autor e comenta sobre a principal e mais conhecida obra do autor.

Folha – Há uma curiosidade sobre o título “Maus” em português, porque ele tem a conotação de “malvados”, embora não sejam os “mouses” [os ratos da história, que são os judeus] os vilões, por assim dizer.

Spiegelman – Ah, isso é interessante… Na verdade, é só a palavra em alemão para “ratos”. Não me importo com que conotação a palavra possa ganhar, só gosto da ideia de que, apesar de o livro existir em cerca de 30 línguas hoje em dia, em todos ele se chama “Maus” [risos]. Ele faz sentido para mim se confundir.

Folha – O sr. acha que as pessoas que só leram “Maus” entre as suas HQs têm uma ideia limitada sobre o seu trabalho?

Spiegelman – De certa maneira, o trabalho dentro de “Maus”, mesmo quando coloco de lado a história que estou contando e vejo como as páginas são construídas, é uma continuação dos pensamentos de “Breakdowns”. Em “Breakdowns” eles não foram criados para ser invisíveis como são em “Maus”, mas o processo no geral é o mesmo, continuo pensando na página completa, em como funcionam os quadros na página. As coisas seriam mais fáceis se os colocasse um depois do outro e sentasse ao seu lado para explicar, mas está tudo relacionado com a linguagem abstrata das HQs. Se alguém diz: “Gostei muito de ‘Maus’, mas não fui atrás de conhecer o resto”, então provavelmente essa pessoa não tem interesse em HQs como forma de arte.

No Youtube, consegui achar um debate da BBC, chamado “Batalha dos Livros”, onde Maus é dissecado. Muito bom. Tô empolgado com essa minha pesquisa.

Jazz Metal é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2019