Chegando esta semana as segundas edições do reboot da DC, Os . As HQs de Batman são as que possuem melhor regularidade, ainda que, com um universo tão grande de personagens, muitas histórias pareçam repetitivas. A Sombra do Batman #2, título caro, encadernado (Panini, R$ 14,90) vale a pena por causa de Batwoman de J.H. Williams III, Asa Noturna, com desenhos do brasileiro Eddy Barrows e Capuz Vermelho e os Foragidos (muita gente odeia), de Scott Lobdell. Esquadrão Suicida & Aves de Rapina #2 (Panini, R$ 6,90), é outra revista mediana, que prende o leitor no suspense que provoca a cada final de edição. Torço para que melhore e recompense no final. Flash #2 (Panini, R$ 5,90) segue valendo pelos desenhos de Manapul e Universo DC Apresenta: Desafiador #2 (Panini, R$ 6,90) continua com uma boa HQ de um personagem que adoro. Não é a melhor de suas aventuras, mas é sempre bom ver Deadman nas comic-shops brasileiras. A grande surpresa é Sgt. Rock E Os Homens da Guerra #1, (Panini, R$ 6,90) com roteiro de Jonathan Vankin. A revista reinicia um dos personagens menos conhecidos da DC, com uma edição muito boa, que traz um texto sobre a história do personagem no Brasil.

Apenas pelo prazer de completar uma coleção, o terceiro volume de (Panini, R$ 24,90), chega às bancas e comic-shops esta semana. A saga foi inovadora para os anos 90 nas HQs americanas, mas como envolveu todo o universo mutante, o resultado ficou bastante irregular. Nesta edição temos os títulos Arma X, X-Man, X-Calibre, Gambit e os X-Eternos e Factor X, além de Amazing X-Men. Ou seja, muita porcaria.

O lançamento mais empolgante da semana, é mesmo Y – O Último Homem #9 (Panini, 22,90), o penúltimo volume da história da Vertigo que mostra um mundo onde os homens foram extintos em uma hecatombe. Brian K. Vaughan e Pia Guerra fizeram uma das melhores séries do selo nos últimos anos, simplesmente porque sempre tiveram uma ideia clara de início, meio e fim. Isso anda fazendo muita diferença hoje em dia.