Revista O Grito!

Jazz Metal — Por Paulo Floro

Nova chance para a Praça do Sebo no Recife

sebo2

A Praça do Sebo, no Centro do Recife, é um dos lugares mais legais do Recife, mas viveu em um estado de descaso, como muitos locais naquela região. Agora, a Prefeitura do Recife terminou uma reforma que ajeitou o piso de pedra portuguesa, o gradil, a mureta e o banheiro público.

Ainda há muito o que resolver, sobretudo no que diz respeito à limpeza do entorno, mas já restaurou a vida da praça, que possui diversas barracas que troca e vende livros usados. Na próxima sexta (30) começa o projeto #MovimentoPraçaDoSebo, criada por Ana Carolina Sobral, estudante de biblioteconomia da UFPE, que fez um trabalho de conclusão sobre sebos.

O evento vai trazer recitais, declamações e leituras. Tem detalhes na Fanpage.

Fundada em 1981, a Praça do Sebo foi referência no Recife nos anos 1980 quando reunia colecionadores, escritores e artistas. Depois passou por um processo de sucateamento e abandono, como muitos locais no Centro do Recife no final dos anos 1990 e início dos anos 2000. Fica em uma área que reúne diversos outros sebos, que foram se adaptando para continuar existindo.

sebo3

Na Av. Dantas Barreto, perto da Praça do Sebo, o antigo “Sebo do INSS” se adaptou para vender apenas livros didáticos e de concursos. Uma pequena parte sobrevive com DVDs pornôs. Ainda na mesma avenida, o “Sebo do Banco Safra” praticamente vende jogos e consoles de videogame. Antigo oásis para fãs de quadrinhos, hoje apenas uma única barraca vende HQs, do vendedor conhecido como Galego.

Na minha adolescência como colecionador de quadrinhos, lembro que frequentava a barraca dele toda semana em busca de novidades. Foi lá que completei várias minisséries como Marvels e adquiri formatinhos da Abril (X-Men, Wolverine, o universo 2099). Isso lá pelos idos de 2000 e poucos. Além de Galego, muitos outros vendedores também vendiam HQs, inclusive alguns títulos importados e fanzines. Hoje Galego resiste, mas a clientela diminuiu bastante, me disse outro dia.

O Centro da cidade ainda perdeu outros sebos, que não sobreviveram às mudanças no Centro. Que iniciativas como a do #MovimentoPraçaDoSebo inspire outros locais.

sebo

Comentários

Anteriores

WTF: Excesso de informação em formato de mochila

Próximo

01 vergonha: médicos brasileiros contra médicos cubanos

2 Comentários

  1. amigo vc poderia me fala onde fica a barraca do galego,ou outro sebo que venda hqs dos anos 90 no recife?abraço

  2. lucia oliveira

    tenho uma coleção ecobox 4 ano novo vcs compram? e qual ovalor que pagam? ainda esta em caixa

Os comentários estão desativados.

Jazz Metal é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2018