Revista O Grito!

Jazz Metal — Por Paulo Floro

Data: 3 de outubro de 2011

Os peitos da Rainha Branca

A paródia mais tosca já feita de Primeira Classe. E que Emma Frost derrubada.

01 cidade: Gdańsk

Só cheguei em , no norte da por um único motivo. É um dos caminhos mais baratos para se chegar à Rússia quando se está na Europa. Como está na fronteira entre os dois países, o lugar é muito cheio de pessoas fazendo compras e ouve-se uma mistura de línguas muito grande, sobretudo de pessoas do leste europeu que usam o mesmo caminho para ir à Kaliningrado, a cidade russa mais perto.

Cidade pobre, no inverno fica muito difícil andar na rua para quem não é morador. As calçadas estão lotadas de gelo, e é muito comum encontrar carros totalmente submersos em camadas gigantescas de neve. Em outras cidades tão geladas, mas mais organizadas, as prefeituras usam produtos químicos para derreter o gelo e um esquema de plantão na madrugada para deixar as ruas bonitas – e transitáveis – para o dia seguinte.

Gdańsk foi uma importante cidade medieval no passado. Muitas construções que visitei datavam dos anos de 900 para trás. E eles usam esse passado para chamar mais turistas para lá. O problema é que a cidade ainda está mal preparada para o turismo internacional.

Quase ninguém fala inglês, no máximo russo, mas também é raro (e no que nos ajudaria, né?!). Para se ver, só mesmo as construções antigas, mal conservadas, mas ainda muito bonitas, como a estação de metrô, a fonte de Netuno e a Basílica Mariacka.

Só passei pela frente de todos esses e aproveitei o pouco tempo que passei lá para admirar o porto. Faz tanto frio que o mar congela! E consegui ver pessoas andando sobre as águas congeladas e deu inveja (não me arrisquei).

A feia Gdańsk consegue surpreender com imagens assim, que surgem de surpresa.

Jazz Metal é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2019