Fiz esta matéria sobre o novo disco do Silvério Pessoa como encomenda do JC Online. Eles postaram também um vídeo que fiz do músico no estúdio, explicando o conceito do álbum.

Com proposta filantrópica, novo disco de aposta em temática do bem

Sinônimo da música popular pernambucana, Silvério Pessoa lança esta semana o disco Ciclos, o quinto de sua carreira e o primeiro com uma proposta filantrópica. Com participação de Elba Ramalho, o álbum terá parte da renda destinada a instituições que trabalham com crianças órfãs e com câncer e ainda a abrigo de idosos.

Segundo o músico [veja vídeo abaixo], o lançamento funciona como um trabalho independente do que vem fazendo em mais de dez anos de carreira. As músicas passeiam por uma sonoridade folk, rural, com mais instrumentos de cordas. “O clima das canções é ameno, revestido de levadas universais com base no folk e ritmos locais, como é o caso de Alma gêmea, um xote com frases de acordeom”.

A proposta é que o disco ganhe uma repercussão por si próprio. Por esse motivo, Silvério não tem planos para shows nem apresentações. “Minha vontade é gravar um DVD ao vivo, mas em estúdio, sem plateia. Porque acho que o que há de mais bonito neste registro é sua atmosfera mais intimista, reflexiva”, explicou.

Ciclos retoma um antigo projeto de Silvério, Quando a vida é alegria, uma fita K-7 lançada em 1993 quando o músico era ligado a grupos de ações sociais de Jaboatão dos Guararapes, como o Comitê da Cidadania Contra a Fome, e atividades com crianças e professores.

“Depois de dez anos de carreira, entre viagens ao exterior e atividades locais, consegui espaço na agenda para fazer esse trabalho”, comemora. As letras abordam temas universais, como ecologia, solidariedade, paz, família, amizade e existência de Deus. Assim como a fita K-7 que deu início a tudo, o disco também foi feito com a proposta de servir de auxílio pedagógico a instituições que trabalham com crianças e adolescentes.

“É minha contribuição como pedagogo”, brinca. E avisa que não se trata de um disco religioso, como podem sugerir a dedicatória ao médium Chico Xavier e a Oração de São Francisco cantada por Elba Ramalho. “São músicas para reflexão, independente do credo”, avisa.

Com dez faixas, o CD teve seis canções assinadas por Silvério e três em parcerias com os músicos Robson e Izabel, Valdir Dantos e Clóvis Nunes, além de Elba.

BENEFICENTE – A distribuição da renda do disco Ciclos, destinada a instituições de caridade, seguirá um modelo independente. O músico doará cópias dos álbuns aos órgãos para que eles possam comercializar a obra.

Os interessados poderão comprar o produto diretamente às instituições, através do telefone (serviço abaixo). Nesta primeira fase, serão três casas beneficiadas: Abrigo Batista de Carvalho; SOS Criança, ligado ao Grupo de Ajuda a Criança com Câncer (GAC); e Lar Ceci Costa.

Segundo o músico, lojas de discos e livrarias também venderão o disco a partir desta semana. Os lucros da primeira remessa deste tipo de compra serão destinados aos custos do produção e às seguintes terão uma parte enviada aos órgãos filantrópicos. O valor sugerido para o CD é R$ 10.

Comentários