Revista O Grito!

Jazz Metal — Por Paulo Floro

Mês: junho 2009 (Página 1 de 9)

rrrrrrrrrrrrrrrrr

Um outro Michael vai aparecendo

Engraçado que Michael Jackson morreu horas depois que fechamos o espelho da Revista O Grito!. Agora é correria pra fechar um especial sobre o cantor. Como a edição é semanal, não poderemos fazer nada muito grandioso.

Procurando ideias, fotos e assuntos sobre o cantor na avalanche de informações sobre ele de ontem pra hoje, vou descobrindo fotos raras que dificilmente chegam ao leitor comum (não fã). Também encontro gravações e momentos espetaculares musicalmente, que dão certeza da importância que ele tinha para a música pop. Mesmo que, nos últimos tempos, o que importava mesmo para uma cobertura sobre ele fossem seus escândalos.

É este Michael que está longe das “galerias de fotos” e das “retrospectivas” dos grandes portais que nos interessa. Vamos à procura dele?

No Play – Bill Calahan

Hoje é dia de ouvir Bill Calahan

Harry Potter é hominho (e quem tinha dúvida?)


pauta veeelha…

A revista Parade colocou na capa Daniel Radcliffe. A matéria quer mostrar um perfil mais adulto e maturo do ator. Mas, não já fizeram isso antes?

Marjane Satrapi e a crise no Irã

Desde que a crise no Irã se deflagrou, uma parte da imprensa citou a autora iraniana Marjane Satrapi, autora da autobiografia em quadrinhos Persépolis. No livro, ela faz um apanhado da história recente do país. Sucesso de crítica, chegou a ganhar uma adaptação para os cinemas.

Agora, a própria Marjane se insurge sobre a situação em seu país natal, com um manifesto online.

Dear Friends

To all who beleive in freedom and dememocracy
Please sign this petition to United Nation to stop the violence, arrestations and torture in Iran.
The situation is really really bad.

Please forward it to whoever you know
Best and lots of love
Marjane Satrapi

O link é esse:
http://www.petitiononline.com/12June/petition.html
. A dica é da quadrinhista Becky Cloonan.

Em entrevista ao jornal El País (reproduzido no Brasil pelo O Globo), a autora afirma que a eleição foi na verdade, mais do que uma fraude, um golpe de Estado.

O que realmente está acontecendo no Irã nos últimos dias
MARJANE SATRAPI: O que ocorreu foi bem mais que uma fraude, foi um golpe de Estado. A comunidade internacional não deve reconhecer a legitimidade de Mahmoud Ahmadinejad.

Que provas a senhora tem desse golpe de Estado?
MARJANE: Inúmeras. Votaram nessas eleições 13 milhões a mais de eleitores que há quatro anos e votaram pela mudança. Mehdi Karrubí, que nas eleições anteriores teve mais de 5 milhões de votos, agora só aparece com 280 mil. Os candidatos foram derrotados inclusive em suas cidades natal com percentuais superiores a 90% (para Ahmadinejad). Os números que saíram do Ministério do Interior em uma comunicação confidencial são completamente diferentes dos dados oficiais. Moussavi recebeu um telefonema da Comissão Eleitoral afirmando que ele havia ganhado as eleições e que preparasse seu discurso, e logo os chefes militares foram até ele para dizer que não aceitariam essa revolução. Segundo as leis eleitorais iranianas, os resultados devem ser anunciados em pelo menos 72 horas, para que se tenha certeza de que os votos foram bem contabilizados. No entanto, o resultado saiu muito antes disso.

Página 1 de 9

Jazz Metal é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2017