Foto: James C. Chung

Já disse aqui que sou santo amarina de coração e mente né? Moro na Rua do Lima, numa casa cor-de-rosa-bicha-goiaba de porta e janelas azuis índigo de 1939. Tenho um quintal e um jardim de inverno e adoro receber as pessoas que eu amo.

Não tenho família imediata em Recife. Meu irmão mora na China e meu pai no Sertão do Seridó (RN), não tenho mãe. Moro com dois cães e na entrada tenho uma placa com os dizeres ‘República dos Cães sem Dono. Seja bem vindo também’

Mas Papai do Céu, que é um cara muito safo, inteligente e bacana, me compensou com muitos amigos bons. Costumo dizer que os amigos são aquilo que fazem com que a nossa vida besta faça mais sentido. Imagine você aí, do outro lado da telinha, como teria sido a sua vida sem o seu melhor amigo de infância, sem o seu compadre de casamento ou sem o padrinho dos seus filhos? Pois é. A vida ia ser muito mais sem graça. E você, fatalmente, seria uma pessoa muito diferente da que é hoje. E com certeza, menos feliz.

Eu tenho os melhores amigos do mundo e agradeço todos os dias por isso. Duvida? Em um dos meus aniversários ganhei não só um, mas DOIS fogões de presente. O meu estava velhinho e meu pai resolveu me dar outro. Meus amigos, pra quem cozinho muito, também se juntaram e compraram um segundo. De uma pessoa com um fogão com apenas uma boca passei a ter 11 bocas pra administrar. Terminei dando um dos fogões pra Mazé, minha super faxineira porreta, que também se tornou minha grande amiga com o passar dos anos.

Dia desses, meu jardim de inverno ganhou um chuveirão. Presente de um amigo de duas décadas, dono de construtora. Um luxo, verdadeira delícia. Aí, pra completar tudo, na última semana ganhei de presente uma churrasqueira construída pelas próprias mãos do meu amigo Cachorrão. Munido com a cópia da minha chave, passou dois dias construindo a bichinha no quintal. E ainda veio no sábado pra estrear o equipamento como churrasqueiro.

Entenda, não tenho os melhores amigos do mundo porque eles me dão presentes maravilhosos. Tenho os melhores amigos do mundo porque eles, sim, são o presente mais do que especial com que a vida me brindou. E você aí que me lê, se tiver tido a oportunidade de ter feito apenas um amigo de verdade nessa vida besta, vai saber do que eu tô falando. É – morando ao lado ou um oceano de distância – saber que pode contar com aquela pessoa que você ama. E que ama você incondicionalmente. Sem reservas ou julgamentos. E que sempre vai estar lá, quando você precisa.

Só pra reforçar e pra ninguém esquecer: amigos são aquilo que fazem com que a nossa vida faça mais sentido. A minha faz. E a sua?

* Iara Lima é jornalista e escreve crônicas neste espaço. Leia as colunas anteriores dela.

Sem mais artigos