Ramonn Vieitez

O artista plástico Ramonn Vieitez é um nome que vem ganhando destaque no cenário artístico local. Com duas exposições realizadas este ano – no Instituto de Arte Contemporânea da UFPE e na Galeria Amparo 60 -, ele reafirma seu interesse pelo suportes clássicos e bidimensionais e no tratamento de questões pessoais na sua obra.

As pinturas e serigrafias de Vieitiz falam sobre o mistério da juventude, suas descobertas e sobre o amor. Boa parte das obras é resultado de uma investigação que ele vem desenvolvendo desde 2011. O artista mostra também uma busca poética sobre temas recorrentes de sua criação com a utilização de um personagem sempre presente nas pinturas.

Diferente de muitos artistas da nova geração, Vieitiz tem preferido aprofundar e explorar o máximo possível as técnicas tradicionais as quais tem se dedicado. Uma aposta corajosa que vem dando resultados positivos no universo onírico presente em suas obras, cujo foco são narrativas que contam coisas de sua própria vida.

Panda Eyes

Acaba de sair o primeiro álbum da banda pernambucana Panda Eyes. O disco está disponível para download com oito músicas compostas pelo grupo com produção de Rafael Borges e Roberto Kramer, integrantes da banda ao lado de Daniel Sultanum, João Penna e Bruno Saraiva.

O Panda Eyes atua na cena independente do Recife desde 2012, ano em que lançou um compacto com três músicas masterizadas por Dave Collins que já trabalhou com o The Police e Weezer.

A banda canta em inglês e tem influências do indie rock americano e do pós-punk inglês. Amigos de longa data, o disco Dream Police reflete a interação dos músicos e traz resultados bem instigantes a partir de arranjos simples, mas com letras e melodias criativas.

Gabriel Azevedo

A exposição Caos Navalha de Gabriel Azevedo foi a oportunidade do público conhecer um dos trabalhos mais instigantes do design a figurar na cena artística do Recife. O artista apresentou cerca de 30 quadros, manuais e digitais, personagens e elementos carnavalescos desconstruídos com texturas, colagens, nanquim, lápis de cor e tinta guache.

Gabriel tem uma carreira de trabalhos como ilustrador e designer gráfico e desenvolveu estampas e coleções para diversas marcas. Nessa sua primeira exposição ele valoriza as cores e texturas em obras que focam na construção e identidade do brasileiro e no nosso gosto pelas festas.

gabriel azevedo

Comentários