Axel Roses (Foto: George Chin/ Divulgação)

11 ANOS DE ESPERA CULMINA COM FRUSTRAÇÃO
Com custo superior a US$ 13 milhões, novo disco do Guns, que está sendo gravado desde 1997, vaza na internet e causa correria para downloads
Por Iúri Moreira

GUNS ‘N’ ROSES
Chinese Democracy
[Universal, 1997]

Uma das piores coisas que existe é criar expectativa. Quando isso acontece, a probabilidade de decepção é grande. E Chinese Democracy, o eternamente adiado álbum do Guns ‘n’ Roses, não ajuda nem um pouco. Desde 97, quando começou a ser gravado, até duas semanas atrás, quando vazou na internet (na verdade algumas músicas já tinham vazado antes), o disco tem gerado uma ansiedade gigantesca nos fãs. Tudo começou com o anúncio de “Oh My God” em 1999, na trilha do filme Fim dos Dias, do Arnold Schwarzenegger. Na turnê de 2001/2002, algumas músicas foram tocadas, o que chamou mais a atenção. De lá pra cá, entretanto, o que se viu foi um festival de datas anunciadas e canceladas.

Especula-se que o disco já tenha custado mais de U$ 13 milhões, tornando-o o mais caro de todos os tempos. Cansado de esperar, alguém vazou as gravações (supostamente definitivas, já masterizadas) para o site Antiquiet (www.antiquiet.com), de Kevin Skwerl, um webdesigner que trabalhou no departamento de distribuição da gravadora Universal. O rapaz, inclusive, declarou à Rolling Stone que foi interrogado por dois agentes do FBI sobre o vazamento dos arquivos.

A maioria do que foi postado no blog eram faixas (“Better”, “The Blues”, “Chinese Democracy”, “IRS”, “Madagascar” e “There Was a Time”) já conhecidas dos fãs em versões não-finalizadas. O arquivo que este que vos escreve teve acesso contém “Better”, “Irs”, “There Was a Time”, “Catcher In The Rye”, “Chinese Democracy”, “The Blues”, “Madagascar”, “Rhiad And The Bedouins”, “Oh My God” e “Silkworms”.Mas vamos ao disco – e por isso que citei a tal expectativa no começo do texto.

Se o núcleo do novo CD do Guns for realmente o que vazou, a coisa não vai ficar muito boa pro lado de Axl e cia. limitada. O disco é legal, dá pra escutar algumas vezes, balançar um pouco a cabeça, e só. Em nada, absolutamente nada lembra a força dos discos que tornaram o Guns a maior banda do planeta no início da década de 90.

Tudo bem, é bom não subestimar o poder da mídia e o hype que vai ser criado em torno do lançamento, mas a verdade é que se Axl tivesse lançado o disco há 10 anos, provavelmente a aceitação seria bem maior. Outra: muita eletrônica e coisas pré-programadas no lugar das guitarras, que passam o disco lutando por espaço, com exceção de alguns (bons, diga-se de passagem) solos.

Ah sim, ia me esquecendo: tem mais um grande problema a vista. Axl, que sempre foi muito bom de grito mas não necessariamente um bom vocalista, resolveu mostrar que pode cantar. Bem, gostava mais quando ele gritava.

NOTA: 5,0

Curiosidades

  • O álbum já custou mais de 13 milhões de dólares, sendo o álbum mais caro da História.
  • Em 2003, o grupo The Offspring, zombando do eterno adiamento, disse que seu novo álbum se chamaria Chinese Democrazy (é o álbum Splinter).
  • A faixa “Catcher In The Rye” conta com a participação de Brian May (Queen) nas guitarras. May gravou mais duas músicas com o Guns N’ Roses que poderão ou não aparecer no CD.
  • Recentemente foi citado que o Chinese Democracy será lançado online. O Guns se basearia no que o Radiohead fez, mas tudo foi desmentido pela própria banda.
  • O último lançamento com músicas inéditas da banda foram os clássicos Use Your Illusion I e II, de 1991. Depois disso o grupo lançou um álbum de covers, um ao vivo e uma coletânea.
  • A empresa de refrigerante Dr. Pepper anunciou que vai dar uma lata de seu refrigerante a cada norte-americano se o Guns N’ Roses lançar o álbum. Apenas os ex-integrantes Slash e Buckethead ficariam de fora da “promoção”.
  • Segundo o departamento de marketing da Dr. Pepper, “foi necessário um pouco de paciência para tornar perfeita a mistura de 23 ingredientes, que se tornaram conhecidos e amados por nossos fãs”. Disse o diretor Jaxie Alt: “Assim, nós entendemos completamente a busca de Axl pela perfeição”.
Sem mais artigos