Gorillaz | Demon Days
NOTA8

REJEITE ÍDOLOS FALSOS
Por Paulo Floro

GORILLAZ
Demon Days
[Virgin, 2005]

Gorillaz - Demon DaysO Gorillaz nunca foi uma unanimidade. Quando a banda apareceu em 2001, vendendo 6 milhões de cópias, tentando subverter a ideia que as pessoas tinham sobre ídolos pop e música pop, muita gente não entendeu. O público indie rejeitou milhões de referências que a banda trazia, que ia do pop japonês ao rap, e o público médio transformou o grupo numa banda-cartoon divertida feita para crianças.

O Gorillaz mostrou que o mundo não é mais tão dependente de ídolos de carne e ossos. O Oasis, por exemplo, amargou um período de recessão enquanto o grupo que esconde gente como Damon Albarn, viveu um sucesso arrasador, experimentado por poucos no início do século 20. Formado por 2-D (vocais), Russel Hobbs (bateria), Noodle (guitarra) e Murdoc Nicalls (baixo), a banda anuncia sua volta depois de 4 anos com o álbum Demon Days.

“A alma da gravação não pôde evitar ser uma manifestação do tempo, clima e local em que estávamos quando foi feita. Consequentemente, as cores são ricas, escuras e pesadas enquanto os ritmos são claros, estratégicos e implacáveis. Tem consciência.” Demon Days é o Gorillaz afiado. Consegue tornar a banda ainda mais moderna e dizer isso para uma banda de desenho animado, no caso do Gorillaz não é redundância.

A própria capa do disco remete ao Let It Be dos Beatles, significando que a banda é o ícone-mor na música pop na web hoje.

Sem mais artigos