O público do Recife terá a oportunidade de conferir, amanhã (9), o projeto “Concerto de cordas e máquinas de ritmo”, que marca os 70 anos de idade e 50 de carreira de Gilberto Gil. No show do Teatro Guararapes, haverá ainda a participação da Orquestra Sinfônica da Bahia, regida pelo maestro Carlos Prazeres. A série de apresentações que tem feito pelo Brasil mostra um espetáculo de arranjos de cordas originais e intimistas.

No repertório, clássicos como “Domingo no Parque”, “Expresso 2222” e “Andar com Fé” receberam arranjos executados pela orquestra. “Panis et Circenses”, sucesso com os Mutantes, que Gil nunca havia gravado, também ganhou nova versão. O artista compilou obras de várias fases da carreira, desde o primeiro disco. O setlist inclui ainda releituras de composições de Tom Jobim, Dorival Caymmi e até Jimi Hendrix, que remonta ao período em que o baiano morou em Londres.

A ideia do concerto nasceu depois que Gil convidou o filho, o guitarrista Bem Gil, a juntar-se a ele no aclamado show de voz e violão “Gil Luminoso”, em 2006. Uma conversa com o maestro e violoncelista Jaques Morelenbaum resultou no convite para participar do novo projeto, que unisse orquestra e MPB, e acabou dando origem ao Concerto de Cordas. Fechando o quinteto, dois elementos que criam uma harmonia mais completa e, ao mesmo tempo, desafiadora: o violinista Nicolas Krassik, herdeiro da famosa tradição francesa de violinistas de jazz admiradores da musica brasileira, e o percussionista Gustavo di Dalva, que aos 15 anos já acompanhava Gil e traz seu vasto universo rítmico. Coube a Gustavo propor um diálogo com a sonoridade de máquinas eletrônicas, um encontro entre o moderno e o antigo, o pop e o regional, que evoluiu ainda mais quando resolveu propor aproximações com as orquestras.

Gilberto Gil apresenta um espetáculo que nos convida a uma lúdica subversão da noção espaço-tempo, com uma trilha sonora impecável, uma ode às sensações. As emoções são lapidadas em melódicas frases de violão, na tão familiar e marcante voz de Gil, na reverência filho-pai e na benção pai-filho, que permeia a bela união melódica e rítmica do violão de Bem Gil, e na orquestra de um homem só, que é o violoncelo de Jaques Morelenbaum. Uma subversão original e irresistível e a bela união entre músicos de diversas gerações.

Serviço
Gilberto Gil – “Concerto de cordas e máquinas de ritmo”
Data: 09 de agosto, quinta-feira, às 21h
Local: Teatro Guararapes (Centro de Convenções)
Ingressos: Plateia R$ 140 inteira / R$ 70 meia | Balcão R$ 100 inteira / R$ 50 meia
Vendas: 4003-1212 / ingressorapido.com.br

Sem mais artigos